7.ª Conferência – A Guerra da Restauração

7.ª Conferência – A Guerra da Restauração 

 

“Diálogos com História e Património – A Guerra da Restauração – 1641-1668” é o nome da conferência a realizar-se, no próximo dia 23 de setembro, pelas 16:00 horas, na Casa de Sargentos do Regimento de Cavalaria 3, por Fernando Dores Costa, do Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa.

“O objeto da conferência é o estado de guerra que vai da aclamação de D. João IV como rei e o reconhecimento da separação de Portugal da união de Coroas que existira desde 1580. Esse estado de guerra durou quase 28 anos. Uma perspetiva anacrónica e de propaganda nacionalista apresentou este conflito como um confronto entre Portugal e Espanha. Usava-se a história para efeitos de exaltação. O estudo das fontes com detalhe conduz-nos a uma perspetiva bem diferente. A guerra exige o recrutamento de soldados e novas receitas extraordinárias para sustentar o esforço bélico. O exército, em particular o do Alentejo, faz-se e desfaz-se permanentemente. O estado dos Povos em reunião de Cortes aceita oferecer ao rei o resultado de novos tributos, mas por tempo limitado. A principal motivação para a aclamação do novo rei fora acabar com as imposições nos anos finais do reinado de Filipe III. Por isso os novos governantes receavam o descontentamento de um estado de guerra.”

Esta iniciativa é uma organização do Regimento de Cavalaria 3, com o apoio da CIDADE – Cidadãos pela Defesa do Património de Estremoz e do CECHAP – Centro de Estudos de Cultura, História, Artes e Património.
CME