Alunos de Évora “abraçam” o Património

Views: 240

Duas turmas do primeiro ciclo do concelho de Évora, nomeadamente as escolas básicas da Graça de Divor e de S. Mamede, estão envolvidas num projeto pioneiro que visa Identificar, conhecer e promover o património cultural dos territórios em torno dos respetivos edifícios escolares.

Esta ação, da responsabilidade da Câmara Municipal de Évora, denomina-se 3P (projeto de promoção do património local) e tem como grande objetivo contribuir para uma maior motivação dos alunos de 1.º Ciclo do Ensino Básico na aprendizagem e valorização do património envolvente.

Nesta fase embrionária do 3P, a edilidade convidou uma escola sedeada num território rural – Graça de Divor – e, por oposição, um estabelecimento de ensino na área urbana – S. Mamede – que estão a debruçar-se sobre a Igreja de Nossa Senhora da Graça e sobre o Convento de Santa Mónica (onde funciona a escola de S. Mamede), respetivamente.

O 3P, que surge na sequência da ação “Volta a Évora em 70 dias”, que possibilitou um maior conhecimento por parte das crianças do 1.º CEB relativamente ao património local (determinante quer na construção do seu processo identitário, quer na aquisição de novos conhecimentos), o 3P procura agora também garantir a oferta de atividades que potenciem dinâmicas de conhecimento nas vertentes da educação formal e não formal, de acordo com os objetivos gerais de Évora Cidade Educadora.

Nos últimos dias, uma equipa composta por técnicos da Câmara Municipal de Évora acompanhou os alunos da escola básica da Graça de Divor e de S. Mamede na primeira visita aos monumento-alvo e, através de linguagem adaptada, deu a conhecer os aspetos chave da Igreja de Nossa Senhora da Graça de Divor e do Convento de Santa Mónica.

Posteriormente, e em contexto de sala de aula, as duas turmas irão desenvolver a temática, procurando, desta forma, criar vínculos afetivos e de autoestima com o património cultural local e promover um maior trabalho de articulação curricular horizontal entre os professores titulares de turma e os professores das AEC.

No final deste processo de aprendizagem e conhecimento em torno de cada um dos monumentos, as turmas envolvidas irão “trocar” visitas e serão os alunos que darão a conhecer o património “abraçado”.

CME