Apresentação Festival de Flamenco e Fado de Badajoz

Views: 158

FESTIVAL FLAMENCO E FADO BADAJOZ 2019

De 1 a 6 de julho

  • Dulce Pontes celebra os 30 anos de carreira em Badajoz, num sinfónico com a Orquesta da Extremadura
  • Marco Rodrigues, Gaspar Varela e Dulce Pontes em Badajoz

 

            Foi apresentado em Lisboa o Festival de Flamenco e Fado de Badajoz de 2019 que terá lugar este ano de 1 a 6 de julho no terraço de verão do teatro López de Ayala e no Auditório Municipal Ricardo Carapeto de Badajoz. Contará com a participação especial da Orquestra de Extremadura, e artistas como Dulce Pontes, o jovem guitarrista português Gaspar Varela, e o fadista Marco Rodrigues que partilharão palco com a cantaora Celia Romero, a bailaora Fuensanta Blanco, o guitarrista flamenco  Tomatito, o cantaor José Mercé, entre outros.

Este encontro cultural conta com o apoio incondicional do Governo Regional da Extremadura espanhola com o objetivo da promoção da cultura transfronteiriça. Da mesma forma, a Câmara Municipal de Badajoz colabora neste evento considerado como um dos mais relevantes cidade fronteiriça de Badajoz.

Na apresentação, que teve lugar no Museu do Fado de Lisboa, a Conselheira da Cultura e Igualdade do Governo Regional da Extremadura, Leire Iglesias, destacou que o festival de Flamenco e Fado de Badajoz permite a espanhóis e portugueses “quebrar barreiras e falar-nos e compreender-nos através do sentimento, da emoção, da cultura e da música”   

Como novidade, o apoio do Museu do Fado de Lisboa. Foi assinado um acordo de colaboração com esta entidade. O primeiro fruto deste acordo é a presença no dia 6 de julho do jovem guitarrista português Gaspar Varela

            A programação começa no terraço de verão do teatro López de Ayala no dia 1 de julho com a projeção do documentário Camarón, Flamenco y revolución’ sobre a vida do famoso cantaor flamenco Camarón de la Isla.

Neste mesmo lugar, na terça-feira 2, estreia um espetáculo de ballet flamenco concebido e protagonizado por dois jovens extremenhos: Fuensanta Blanco e Andrés Malpica. Apresentam ‘Con acento extremeño’.

Na quarta-feira 3 chega ao Festival um grupo revelação de Portugal, Fado Violado, formado pelos músicos Ana Pinhal e Francisco Almeida. A banda adota o nome como um jogo simpático de palavras referente à sua eleição da guitarra espanhola no lugar da portuguesa como instrumento principal. Apresentam o espetáculo ‘A Jangada de Pedra’. A Mistura de fado e flamenco cria uma música que respeita ambas tradições musicais numa delicada fusão artística e cultural peninsular.

O Auditório Ricardo Carapeto será o cenário dos concertos dos dias 4, 5 e 6 de julho. A cantaora Celia Romero estreia junto com o pianista Andrés Barrios o espetáculo ‘Músicas de cruce’  a 4 de julho no Auditório. “Será um espetáculo de música clássica com “cantes” de Badajoz, no qual ver-se-á a minha raiz flamenca e também incluiremos boleros e tangos”, afirma Celia Romero. Esta noite sobe também ao palco o fadista português Marco Rodrigues, para apresentar o seu trabalho ‘Copo Meio Cheio’.

A segunda noite do Auditório, 5 de julho, acolherá o concerto sinfónico especialmente concebido para o festival e protagonizado por Dulce Pontes com a Orquestra da Extremadura. Uma das mais destacadas representantes da música portuguesa, regressa ao Festival para celebrar os seus 30 anos de carreira e de êxitos. Traz a Badajoz algumas músicas do seu último trabalho discográfico ’Peregrinação’. Um espetáculo bilingue no qual Dulce Pontes não só põe a voz, mas também toca o piano e várias percussões.

Fecha o festival no sábado 6 de julho uma jovem promessa portuguesa, bisneto de Celeste Rodrigues, o guitarrista Gaspar Varela que com apenas 15 anos já conta com um disco, ‘Gaspar’, que apresenta no Festival. Essa mesma noite dois artistas consagrados do flamenco como são o cantaor José Mercé e o guitarrista Tomatito apresentam ‘De verdad’, uma reivindicação de puro flamenco como música, como cultura, para o elevar à categoria que merece.   

            Os preços para os concertos no Auditório Municipal Ricardo Carapeto oscilam entre os 10 e os 40 € consoante o lugar selecionado e o concerto. As localidades para o documentário que será projetado no terraço a 1 de julho custam 2 € e os concertos dos dias 2 e 3 de julho  10 €. As entradas já estão disponíveis através do site: www.fffb.es / www.teatrolopezdeayala.es e na bilheteira do López de Ayala.