CDS Elvas: Presidente Mocinha, peça o encerramento das nossas escolas.

Views: 204

Comunicado: André Churra – CDS Elvas

É certo que os dados dos meses anteriores nos mostraram que as escolas podiam permanecer abertas
com ensino presencial, não só porque o risco de contágio se mostrou pouco elevado, mas
principalmente porque era um dano menor do que aquele causado pelo seu encerramento.

No entanto, o panorama actual apresenta um número de casos COVID-19 muito superior ao
esperado e neste arranque de aulas foram muitos os pais que optaram por não manterem os seus
filhos em aulas presenciais, pois tornou-se cada vez maior o número de casos suspeitos ou
comprovados nas escolas e maior também o número de alunos e pessoal docente em isolamento
profiláctico. Sejamos realistas: o medo entrou na vida das pessoas e afectou todas as circunstâncias
da vida quotidiana. As escolas não foram excepção e, ainda que se mantenham (por enquanto)
abertas, entre aqueles que as não frequentam por opção dos pais e os que estão confinados por
imposição da DGS, fazendo uma análise realista não encontramos nenhuma escola em Elvas que
esteja a funcionar normalmente. Ou porque o professor está isolado, ou porque houve um caso na
turma e todos foram para casa, ou porque um auxiliar pertence a um grupo de risco e não pode ir
trabalhar, os casos são inúmeros e os relatos que oiço e leio revelam que o cenário é aterrador.

Assim, torna-se inevitável o fecho das escolas, porque entre uma escola a funcionar deficientemente
– na qual os alunos já não estão a aprender em condições normais de ensino – que não evita a
propagação de casos COVID-19 e uma escola temporariamente encerrada na sua totalidade – que
estanca naturalmente a contaminação de todo o pessoal escolar e seus familiares – só a segunda
opção nos trará maiores garantias de que num futuro próximo não sejamos obrigados a um novo
encerramento escolar e confinamento geral.

Apelo ao nosso presidente Nuno Mocinha para que insista junto do seu Governo: não esperem pela
reunião do Infarmed para decidirem pelo encerramento das escolas. O ensino à distância não é
seguramente o melhor método de aprendizagem e todos constatámos as suas inúmeras falhas nos
últimos meses, mas o sentimento de insegurança que se vive nas escolas actualmente, com pais,
professores e alunos naturalmente cheios de medo, também não é uma alternativa de sucesso.
Evitemos um mal maior!