CME apela à reabertura de Extensões de Saúde das Freguesias Rurais do Concelho

Views: 77

Câmara de Évora apela à urgente reabertura de todas as Extensões de Saúde das
Freguesias Rurais do Concelho

O Executivo da Câmara Municipal de Évora aprovou por unanimidade uma moção,
proposta pela CDU, intitulada “É urgente reabrir todas as Extensões de Saúde das
Freguesias Rurais do Concelho de Évora”.
No documento constata-se que, 4 meses após o fecho das extensões, adensam-se as
preocupações sobre a sua reabertura. Isto, apesar da Administração Regional de Saúde
ter garantido à Câmara – em resposta recebida a 12 de Julho, relativa a oficio enviado pela
autarquia – a sua reabertura para breve. No entanto, várias freguesias tem as Extensões
de Saúde sem perspetivas de reabertura ou de relocalização temporária, como é, por
exemplo, o caso de S. Sebastião da Giesteira e Boa-Fé.
Face a tal, a Câmara Municipal de Évora considera que esta situação é inaceitável e exige
à Administração Regional de Saúde do Alentejo e ao Governo que reabra, de imediato, as
Extensões de Saúde ainda encerradas e proceda de forma a repor o direito aos cuidados
de saúde públicos primários das populações do Concelho de Évora.
O Presidente Carlos Pinto de Sá propôs à Câmara um voto de pesar pelo falecimento do
Engo Abel Junqueira, que foi vereador da autarquia eborense e membro da Assembleia
Municipal. Voto de pesar que mereceu aprovação unânime e que incluiu também um
texto lido pelo Vereador António Costa da Silva (PSD) que trouxe também uma proposta
de voto de pesar. No texto, salientam-se alguns dados biográficos sobre o falecido e
sublinha-se, nomeadamente, que foi “um homem de causas e valores sempre em defesa
da sua querida Évora”, tal como a sua grande capacidade crítica, o seu sentido de humor
e a forma como era respeitado por todos.
Foi feito o balanço, pelo Presidente da Câmara Municipal, da trovoada, classificada como
violenta, que fustigou Évora na tarde de 21 de Julho, com uma precipitação excessiva,

nunca antes registada. Em cerca de seis minutos, a chuva encheu e extravasou as linhas
de água, as redes pluviais entraram em sobrecarga. Registaram-se 130 ocorrências, 107
inundações, quedas de árvores e de estruturas, cortes de estradas e caminhos, entre
outras, e ainda 4 desalojados a que o Município garantiu alojamento e outro apoio.
Carlos Pinto de Sá deixou o seu agradecimento e reconhecimento a todos os
trabalhadores, quer dos serviços camarários (incluindo da Proteção Civil), quer dos
Bombeiros – cerca de 300 pessoas – que acorreram de imediato e trabalharam toda a
noite e nos dias seguintes para dar as respostas possíveis a todas as ocorrências.
O edil fez também o ponto de situação sobre a pandemia de Covid-19 no Concelho, sendo
os dados referentes ao dia 28 de Julho de 15 casos activos (que permanecem em casa sob
vigilância médica), registando-se já 52 recuperados de um total de 67 casos ocorridos,
não havendo transmissão coletiva, nem mortos a assinalar.
Mencionou, ainda, a discrepância dos dados locais que são os corretos e dos dados
nacionais que penalizam sempre Évora com mais 7 ou 8 casos enquanto outros concelhos
apresentam dezenas de casos a menos do que os reais. Informou que o Centro de Testes,
a funcionar no Complexo Desportivo, foi deslocado para novas instalações.
Declarou que, na reunião da Comissão Distrital da Proteção Civil, propôs que se comece
já a trabalhar para criar uma estratégia, no distrito de Évora, de antecipação e resposta a
uma eventual segunda vaga de COVID-19 que tenha em conta a experiência entretanto
adquirida sobre a pandemia.
O Vereador Eduardo Luciano fez referência à frágil situação do tecido cultural do
Concelho e à continuação de ausência de resposta por parte do Ministério da Cultura.
Resposta referente ao financiamento que pode salvar estruturas fora dos grandes centros
urbanos, como é o caso do CENDREV, cujos trabalhadores já estão em situação de
desemprego. Deixou a sua solidariedade para com o CENDREV e com todos os agentes e
criadores culturais e apelou a um apoio imediato e directo por parte do Ministério da
Cultura.
Foram ainda aprovados por unanimidade o Concurso Público para Empreitada de
Remodelação do Edifício da Antiga Rodoviária Nacional para Criação do Centro de

Investigação e Documentação de Évora – CIDE e a adjudicação da empreitada de
construção do Centro de Convívio de São Miguel de Machede.
Além disso, mereceu aprovação unânime a proposta de adjudicação para, mais uma fase,
da requalificação e modernização da Escola de São Mamede.