Elvas:Ministra da Cultura inaugura exposição “Jogo de Espelhos”

Views: 1021
Foto.CMElvas
Foto.CMElvas

A sexta exposição do MACE é concretizada a partir de uma nova montagem da Colecção António Cachola (CAC) apenas com peças inéditas. O título escolhido para esta nova etapa expositiva refere não apenas uma das obras centrais da nova montagem, o novo conjunto escultórico e monumental de ferro, vidro e espelhos que José Pedro Croft instala numa das alas superiores do Museu, como a modalidade de constituição da colecção particular que dá sentido ao projecto do MACE: uma colecção aberta a várias tendências contemporâneas, aos seus efeitos de reflexo e reenvio, de multiplicação e fragmentação.

Para além do destaque colocado na obra de Croft, acrescentado ainda com a apresentação de numerosos desenhos e gravuras, as restantes salas do Museu e a habitual extensão da montagem ao Paiol de Nossa Senhora da Conceição apresentam obras inéditas da colecção. Nas duas etapas desta mostra (Janeiro e Julho) serão mostradas obras de autores como Pedro Cabrita Reis, Fernanda Fragateiro, Rui Sanches, Nuno Silva, Filipa César, Alexandre Farto, Inês Botelho, João Jacinto, Edgar Martins, Maria Lusitano, João Onofre, Luís Palma, Mauro Cerqueira, Noé Sendas, Isabel Simões, Fátima Mendonça, Daniel Barroca, Pedro Portugal, Ricardo Leandro e César Engstrom, João Louro, João Paulo Feliciano, entre outros. Também é apresentada, pela primeira vez em Elvas, a obra “Valquíria Excesso” da artista Joana Vasconcelos.

A CAC, através do depósito efectuado neste Museu de gestão municipal, tornou-se, desde 2007, na colecção particular de arte portuguesa que de modo mais coerente e relevante se empenhou no cumprimento de uma missão de serviço público de educação cultural e artística a partir de uma periferia territorial e de uma fronteira política e linguística. Esse objectivo acrescenta valor ao esforço empreendido pelo coleccionador, pela Câmara Municipal de Elvas e pela equipa do Museu.

Em cada exposição, o MACE pretendeu sempre valorizar a colecção no contexto da realidade artística nacional e internacional e também servir a comunidade local ligando a Arte Contemporânea à realidade da região, à cidade militar e às memórias históricas do edifício onde se apresenta (o antigo Hospital da Misericórdia). Nesse sentido, a intervenção do serviço educativo do MACE nas diferentes camadas etárias e sociais locais e externas, as edições de catálogos próprios, a realização de conferências e a disponibilidade de uma livraria especializada têm-se revelado instrumentos essenciais.

Com esta exposição, simbolicamente no início do ano de 2010, o MACE inaugura uma etapa que se pretende ser de expansão interna, de enriquecimento do diálogo com os públicos e de diálogo com outras colecções e instituições museológicas, com vista a instaurar um clima de verdadeira oferta da Colecção à Res Publica.

A exposição está patente até 4 de Julho, no horário seguinte:

– Inverno, das 10 às 13 horas e das 14.30 às 18 horas (de quarta-feira a domingo) e das 14.30 horas às 18 horas (às terças-feiras);

– Verão, das 10 às 13 e das 15 às 18.30 horas (de quarta-feira a domingo) e das 15 às 18.30 horas (às terças-feiras);

– encerra nas segundas-feiras todo o dia e nas terças no período da manhã.

CMElvas

Comments: 0