Évora: Ruas vedadas ao trânsito automóvel no Centro Histórico

Views: 132

A Câmara Municipal de Évora irá fechar ao trânsito, no próximo fim-de-semana, 21 e 22 de setembro, algumas artérias do Centro História, como forma de assinalar o final da Semana Europeia da Mobilidade e assim proporcionar uma outra vivência da cidade.

Assim, entre as 09h00 e as 20h00, a Rua Elias Garcia e o Largo Luís de Camões, a Rua D. Isabel (após o cruzamento da Rua de Olivença), a Rua de Valdevinos (após cruzamento com o Pátio do Salema) e a Rua Vasco da Gama vão estar vedadas ao trânsito automóvel, assinalando-.se assim o Dia Europeu Sem Carros, cuja data é celebrada a 22 de setembro.

Criado pela União Europeia no ano 2000 e posteriormente estendido na Semana Europeia para a Mobilidade (16 a 22 de setembro), o dia europeu sem carros pretende ser um dia para consciencializar os cidadãos para as questões da mobilidade, saúde e qualidade de vida, convidando-os a não se deslocarem de carro e a adotarem outros meios de transporte para os seus trajetos habituais, promovendo assim a mobilidade sustentável e a atenuando os crescentes problemas relacionados com o uso massificado do automóvel.

A Câmara Municipal de Évora, especialmente neste dia, exorta os munícipes a caminhar e a pedalar, optando por se deslocar de um modo mais ecológico e saudável.

Entretanto, ao longo dos últimos tempos a edilidade tem vindo a desenvolver e a implementar uma série de medidas com vista à melhoria da qualidade de vida e ambiental da população, designadamente:

Inicio dos trabalhos para o desenvolvimento do Plano de Mobilidade para Évora;

Definição de percurso turístico acessível no Centro Histórico;

Ligação Pedonal e Ciclável entre o Bairro do Bacelo e o centro histórico

Potenciar soluções alargadas na mobilidade – Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora;

Adoção das medidas PART, reduzindo o valor dos passes dos transportes coletivos urbanos e interurbanos;

Campanha de pintura de 250 passadeiras de peões;

Pintura de marcas rodoviárias para atravessamento e circulação de velocípedes;

Construção em pedra branca de várias passadeiras de peões no centro histórico e zonas adjacentes;

Rebaixamento de passeios para acesso facilitado a pessoas de mobilidade reduzida;

Ponte pedonal entre a Urbanização da Azinheira e as Vilas do Alcaide.