GNR: Campanha “Viajar sem pressa”

Views: 135

Campanha “Viajar sem pressa”

 

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam amanhã, dia 13 de outubro, a Campanha de Segurança Rodoviária “Viajar sem Pressa”, inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2020.

A campanha, que decorrerá entre os dias 13 e 19 de outubro, tem como objetivo alertar para os riscos da condução em excesso de velocidade, sendo esta uma das principais causas dos acidentes nas estradas, e integrará:

  • Ações de sensibilização da ANSR;
  • Operações de fiscalização, pela GNR e pela PSP, com especial incidência no cumprimento das regras do código da estrada e legislação complementar relativas à velocidade;
  • Fiscalização 24/24 horas da ANSR através da sua rede de radares (SINCRO);

As ações de sensibilização ocorrerão em simultâneo com operações de fiscalização nas seguintes localidades:

  • Dia 13 – Av. Marechal Gomes da Costa, Porto;
  • Dia 14 – EN 14 Arnoso Santa Maria, Braga;
  • Dia 15 – Av. Comunidade Europeia, Leiria;
  • Dia 16 – EN 119, Biscainho, Santarém;
  • Dia 19 – A1 Portagens de Alverca e Av. Infante D. Henrique – Sta. Apolónia, Lisboa.

A ANSR, a GNR e a PSP relembram que os limites de velocidade e as regras relativas à sua moderação existem para a proteção de todos, especialmente dos mais vulneráveis, pelo que o seu cumprimento é vital:

  • A velocidade é a principal causa de um terço de todos acidentes mortais”;
  • Quanto mais rápido conduzimos, menos tempo dispomos para imobilizar o veículo, quando algo de inesperado acontece”;
  • “Numa viagem de 10 km aumentar a velocidade de 45 para 50 km/hora apenas permite ganhar 1 minuto e 20 segundos, porém, uma reduzida diferença de velocidade pode fazer a diferença entre a vida e a morte”.

O Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, o qual tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”, prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização, em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de velocidades adequadas e respeitando os limites legais.