Incêndios florestais em Portugal: Comissão Europeia apoia os esforços de reconstrução com fundos europeus e continua ajuda de emergência

Views: 670

Portugal continua a ser apoiado pelo Mecanismo Europeu de Proteção Civil no combate aos incêndios florestais que decorrem no país. Desde 12 de agosto, depois do pedido de Portugal (pela segunda vez este ano), mais de 160 bombeiros, 27 veículos e 4 aeronaves de combate a incêndios foram enviados para o país. Estes meios ainda operam com o apoio da Espanha, através do Centro de Coordenação de Emergência da Comissão Europeia.

Para apoiar o país após os fogos de junho passado que afetaram a zona Centro, a Comissão Europeia aprovou hoje a mudança do Programa Regional da Política de Coesão. No âmbito do programa, 45 milhões de euros podem agora ser usados para lidar com as consequências da catástrofe e ajudar a revitalizar a atividade económica da região. 

A Comissária europeia para a política regional, Corina Creţu, disse: “Esta reorientação dos fundos ajudará a Região Centro a retomar o seu curso normal e ajudará os portugueses a virar a página deste capítulo doloroso. A UE está pronta para reforçar o seu apoio quando e onde os europeus mais precisam. Quero expressar a nossa sincera solidariedade para com os portugueses, numa altura em que os incêndios florestais continuam a devastar o país. Também gostaria de manifestar a nossa profunda gratidão àqueles que, em Portugal e no resto da Europa, lutam incansavelmente contra as chamas“.

Relativamente ao montante de 45 milhões de euros, 25 milhões de euros podem ser usados para restaurar a capacidade de produção das empresas locais, incluindo equipamentos e máquinas que tenham sido destruídas nos incêndios. 20 milhões de euros podem ser investidos em serviços públicos e no restauro das infraestruturas críticas como reparos nas estradas, restauro dos sistemas de distribuição de água ou substituição de veículos de transporte municipais.

Após o incêndio, as autoridades portuguesas solicitaram a modificação deste programa da política de coesão e a Comissão Europeia comprometeu-se a tratar deste pedido tão rapidamente quanto possível. A decisão de hoje não altera o orçamento global do programa.