Negar um barrete dos forcados de Évora é negar a tradição e a cultura portuguesa

Views: 174

 – Francisco Mota, presidente da Juventude Popular (JP)
vem a público repugnar a atitude e o comportamento da Ministra da Cultura do
Governo de Portugal, Graça Fonseca, perante o Grupo de Forcados Amadores de
Évora. “Hoje fica comprovado que a Sra. Ministra inaugurou uma campanha
intencionada de proibição e condenação das actividades Tauromáquicas”, afirma o
líder da JP.
Segundo Francisco Mota, “negar um barrete dos forcados de Évora é negar a tradição
e a cultura portuguesa”. “Este governo não pode continuar com a imposição da sua
agenda ideológica. Há uma ditadura de opinião”, afirma o presidente da JP.
Para Francisco Mota “já era absurdo que outras actividades e espaços culturais
retomassem o funcionamento com recomendações da DGS e a tauromaquia e as
praças de touros ficassem à margem desta realidade, agora mais do que nunca o
retomar da actividade tem que ser imediata.”
“Não pode nem há-de ser um governo alimentado pelo experimentalismo animal e pelo
socialismo radical que irá cumprir uma agenda ideológica e de perseguição à
tauromaquia, à liberdade, tradição e cultura portuguesa”, diz Mota.
“Está na hora do Presidente da República tomar uma posição em defesa da
tauromaquia. Não basta visitar as praças de touros e dizer que é defensor da cultura
portuguesa em campanha e depois querer jogar no tabuleiro da indefinição. Quem
cala e consente é tão criminoso como aquele que comete o crime” atira Francisco
Mota.