Reguengos de Monsaraz recebe exposição itinerante “Arqueologia nos Novos Caminhos da Água”

Views: 85

A exposição itinerante “Arqueologia nos Novos Caminhos da Água” está patente até ao dia 30 de dezembro na Biblioteca Municipal de Reguengos de Monsaraz. A mostra pode ser apreciada de segunda-feira a sábado das 10h às 12h30 e entre as 14h e as 17h30 e resulta de uma parceria entre o Município de Reguengos de Monsaraz, o Museu da Luz e a EDIA – Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva.

Esta exposição itinerante apresenta os vestígios encontrados nas cerca de duas mil intervenções arqueológicas efetuadas pela EDIA para a implementação do projeto da Barragem de Alqueva, grande parte deles desconhecidos da comunidade científica. Os achados foram identificados no âmbito dos processos de avaliação de impacte ambiental e durante os trabalhos de mobilização de terras nas obras de construção dos 120 mil hectares de regadios, barragens, reservatórios e canais que integram este empreendimento de fins múltiplos.

No concelho de Reguengos de Monsaraz foram também encontrados vestígios nos últimos anos no decurso do estudo de impacte ambiental para a construção do bloco de rega. Assim, nesta região foram inventariadas 616 ocorrências patrimoniais, das quais 134 já foram alvo de trabalhos arqueológicos, tendo sido possível recuar a idade das primeiras ocupações humanas deste território às primeiras comunidades de caçadores-recolectores do Paleolítico e atestada a presença de vestígios do Paleolítico inferior, do Paleolítico médio e do Mesolítico antigo.

A exposição “Arqueologia nos Novos Caminhos da Água” apresenta achados do Neolítico, como uma jarra em cerâmica, ídolos em cerâmica e placas de xisto decoradas, enquanto do Calcolítico está exposta uma laje com covinhas, um moinho manual em granito, um vaso de calcário, um prato em cerâmica, um machado de pedra polida, pontas de setas, uma raspadeira em sílex, pesos de rede e um furador em osso. Da Idade do Bronze poderá ser apreciado um punhal em liga de cobre, prata e ouro, taças carenadas em cerâmica, um conjunto funerário e um vaso carenado em cerâmica e da Idade do Ferro está exposta uma fíbula de tipo acebuchal em bronze, taças e potes em cerâmica, braceletes em bronze e contas de colar em ouro.

A exposição mostra ainda achados da Idade Moderna, como fivelas em cobre, um cachimbo decorado em cerâmica, um crucifixo, um alfinete e contas de rosário. Quem visitar esta mostra poderá ainda ver uma placa de cinturão em cobre (século VI), ceitis de D. Afonso V em cobre e moedas em cobre e prata dos reinados de D. João V, D. José I, D. Maria I, D. Maria II e Carlos IV de Espanha.