Violência fica à porta – Operação Nacional da PSP

Views: 62

Violência fica à porta – Operação Nacional da PSP

A Polícia de Segurança Pública (PSP) desencadeia, a partir de hoje, a operação nacional “Violência fica à porta”.

Esta operação visa sensibilizar toda a sociedade para o fenómeno da Violência Doméstica e a importância da sua denúncia precoce como melhor forma de proteção das vítimas da escalada de violência.

A operação, que decorre até dia 25, decorre da associação da PSP ao Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres, assinalado a 25 de novembro.

 

Em concreto, com esta operação a PSP objetiva:

1)         Privilegiar os contactos individuais com vítimas de violência doméstica e seus familiares;

2)         Realizar ações de sensibilização sobre o tema;

3)         Organizar e/ou participar em fóruns ou seminários, locais e nacionais, que promovam o alerta sobre o problema e a necessidade de denunciar este crime, nas suas diferentes tipologias (física, psicológica, sexual ou privação de liberdade).

 

Para esta operação a PSP vai empenhar os 1.000 polícias com competências específicas para atuarem na salvaguarda de vítimas de violência doméstica, colocados nas 162 salas de apoio à vítima (11 delas especializadas), reforçados por 350 polícias do Programa Escola Segura.

 

Relembramos que, neste âmbito, no ano 2021 a PSP registou globalmente:

– 900 detenções de agressores

– 13.000 propostas de medidas de coação a aplicar sobre a pessoa suspeita de praticar a violência;

– 13.750 participações pelo crime de violência doméstica, tendo sido reportada violência psicológica em 13.200 ocorrências e física em 10.000;

– 62.000 contactos pós-vitimação, para verificação das condições de segurança das vítimas e ponderação de novas medidas de proteção.

 

Os indícios mais comuns que pode detetar numa vítima de violência doméstica são:

– Físicos: Fraturas, cortes, hematomas ou lesões genitais.

– Comportamentais: Comportamento passivo/submisso, ansiedade, depressão.

– Emocionais: Sentimento de culpa/vergonha, estado de alerta geral, baixa autoestima.

 

Se for vítima ou tiver conhecimento de uma situação de violência doméstica, participe à Polícia:

– Na Esquadra, presencialmente,

– Por telefone, ou

– Via email violenciadomestica@psp.pt.

 

 

A PSP manterá um relevante esforço de atualização e desenvolvimento nesta área, de que constitui exemplo os 55 Polícias que estão a terminar a frequência do Curso de Prevenção e Intervenção Policial em Violência Doméstica, que decorre na Escola Prática de Polícia desde 31 de outubro.

 

A PSP este ano também se associa à campanha das Nações Unidas, “Dia cor de laranja” (Orange the World) pela CAMPANHA UNiTE, do Secretário-Geral das Nações Unidas, para Acabar com a Violência contra as Mulheres.