Antigo Museu de Cristo com 1.700 figuras pode renascer em Sousel

Views: 1802

O antigo Museu de Cristo, com cerca de 1.700 figuras, que esteve instalado entre Estremoz e Borba (Évora), poderá renascer num projecto museológico em Sousel (Portalegre), caso o município local obtenha financiamento comunitário.

    O presidente da Câmara de Sousel, Armando Varela, explicou à agência Lusa que a autarquia pretende criar um Museu Municipal, num investimento global na ordem dos cinco milhões de euros, para integrar o espólio do antigo Museu de Cristo.

 

O projecto do Museu Municipal de Sousel, a instalar no centro da vila, vai ser candidatado a fundos comunitários, através do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).

    “O projecto prevê um investimento elevado, só possível de avançar caso haja enquadramento no QREN”, considerou o autarca de Sousel.

    Já em 2006, segundo Armando Varela, o município tinha apresentado uma candidatura ao Ministério da Cultura para a criação do museu, no âmbito do Programa Operacional da Cultura, mas o projecto não teve seguimento por não haver uma garantia de financiamento por parte do Estado.

    Além de uma componente etnográfica, o Museu Municipal, já aprovado pela Rede Portuguesa de Museus, receberá o espólio do antigo Museu de Cristo, com “imagens das mais variadas tipologias, proveniências e épocas”, cujo património foi adquirido há 18 anos pela autarquia.

    De acordo com o autarca, a colecção das figuras de Cristo está preservada e já foi efectuada a sua classificação e catalogação por uma equipa de especialistas contratados para o efeito.

    O processo de instalação do Museu de Sousel ganhou forma através do trabalho desenvolvido pelo professor Rafael Calado, investigador, o primeiro director do Museu Nacional do Azulejo, com uma actividade de destaque nas áreas da azulejaria e cerâmica, que morreu há quase dois anos.

    O projecto do Museu Municipal, além de apresentar a colecção das imagens de Cristo, destina-se a conservar, a estudar e divulgar os objectos e documentos relativos à vida e às memórias da população do concelho.

    O futuro museu, segundo o autarca, vai integrar também uma “relevante componente etnográfica” respeitante aos diversos aspectos culturais característicos do concelho.

    A colecção das figuras de Cristo está actualmente guardada em instalações do município, depois de ter estado durante alguns anos armazenada em caixotes no posto da GNR da vila.

    A Câmara Municipal de Sousel adquiriu a colecção de imagens de Cristo, por 65 mil contos, em Fevereiro de 1990, à família Lobo, herdeiros de Venceslau Lobo, que foi comerciante de antiguidades e que criou o Museu de Cristo.

    O espólio do museu foi sendo agrupado ao longo dos anos pelo antiquário Venceslau Lobo e esteve exposto ao público nas suas instalações junto à Estrada Nacional 4, entre Estremoz e Borba.

    De acordo com Manuel Lobo, filho de Venceslau, o acervo do Museu de Cristo é constituído por peças de diferentes épocas, algumas raras, a maioria adquiridas em Portugal e outras em Espanha, incluindo figuras provenientes de diversos países do mundo.

    O museu esteve quase a ser vendido a um cidadão estrangeiro e, na altura, a autarquia de Sousel, presidida pelo social-democrata Torres Pereira, conseguiu adquirir o património cultural, impedindo a sua saída de Portugal.

    O Museu de Cristo já esteve previsto ficar instalado em dois locais de Sousel, no Museu de História Natural, cujo projecto foi abandonado, e na igreja do Convento.

    Com o novo museu, o município de Sousel pretende também desenvolver o turismo cultural no concelho.

   

    TCA.

    Lusa/Tudoben

Comments: 0