Borba: Primeiro-Ministro na sessão inaugural do Congresso sobre Pedra Natural

Views: 499
Passos Coelho - Primeiro Ministro - Foto: portugal.gov.pt

O Global Stone Congress 2012 contou hoje na cerimónia de abertura com a presença do Primeiro-Ministro. A sessão inaugural deste Congresso que recebe representantes de mais de uma dezena de países mostrou que o sector da Pedra Natural em Portugal está a apostar na internacionalização.

Pedro Passos Coelho falou da importância do crescimento das exportações e dos indicadores que fazem com que no exterior a economia portuguesa volte a merecer confiança.

A pedra natural portuguesa tem características únicas e o sector é responsável por 1,5% das exportações do país. O sector, que se distingue nos mercados internacionais pela qualidade, mas também pelo avanço tecnológico das empresas, ambiciona um crescimento nos próximos anos. O sector pretende ser responsável por 5% das exportações portuguesas até 2015.

Miguel Goulão, presidente da Associação ValorPedra, entidade organizadora do GSC-2012, apresentou, na sessão inaugural, o sector da pedra natural: Exporta para 126 países, conta com 3.300 empresas, emprega 24 mil trabalhadores e é, actualmente, responsável por mais de 1% das exportações portuguesas.

«Este sector não é de uma só empresa, vale pelo seu conjunto», disse. De acordo com Miguel Goulão, será preciso ter ainda em conta que se trata de um sector que pode contribuir para o emprego e até para políticas de sustentabilidade e valorização territorial, como acontece no Maciço Calcário Estremenho.

Para Filipe Palma, presidente do Congresso, o certame pretende conciliar a componente tècnico-cietífica da promoção do sector: «Durante cinco dias preparámos um programa que alia a dimensão técnica e científica a uma forte promoção da pedra natural e das características distintivas de Portugal, neste e noutros domínios. O nosso empenho foi pela excelência, pelo que estamos convictos de que os temas que irão ser tratados e o programa técnico, cultural e turístico irão certamente contribuir para mostrar o que de melhor se faz e existe em Portugal».

O Congresso prossegue amanhã, com trabalhos e sessões técnicas a decorrer em Vila Viçosa. À noite, os participantes assistem ao concerto da Banda da Armada, com 95 músicos dirigidos pelo maestro Délio Gonçalves, numa pedreira desactivada.

O GSC passou já por Brasil, Itália e Espanha – 2005 (Guaraparí, Brasil), 2008 (Carrara, Itália) e 2010 (Alicante, Espanha). Na edição 2012, estão inscritos participantes de Alemanha, Austrália, Brasil, Croácia, Egipto, Eslovénia, Espanha, Finlândia, Grécia, Hungria, Itália, Japão, Portugal, Reino Unido, Roménia e Turquia.

Segundo a organização, o Congresso será itinerante entre Borba, Vila Viçosa e Estremoz. No primeiro dia, as sessões decorreram nas instalações do Cevalor- Centro Tecnológico para o Aproveitamento e Valorização das Rochas Ornamentais e Industriais, em Borba. No dia seguinte, o palco escolhido para apresentação das comunicações será o cine-teatro Florbela Espanca (Vila Viçosa) e do dia 18 as sessões estão agendadas para o cine-teatro Bernardim Ribeiro (Estremoz). As Câmaras Municipais de Borba, Vila Viçosa e Estremoz estão envolvidas na organização e apoiam a parte social do evento, que conta igualmente com o apoio de unidades hoteleiras de referência.

A organização do Congresso está a cargo da VALORPEDRA e integra ainda: ANIET- Associação Nacional da Industria Extractiva e Transformadora; ABI ROCHAS- Associação Brasileira da Industria das Rochas Ornamentais; ASSIMAGRA – Associação Portuguesa dos Industriais de Mármores, Granitos e Ramos Afins; CM Borba; CETEM – Centro de Tecnologia Mineral do Brasil; CEVALOR – Centro Tecnológico para o Aproveitamento e Valorização das Rochas Ornamentais e Industriais; DGEG – Direcção Geral de Energia e Geologia; IST – Instituto Superior Técnico; UE – Universidade de Évora; e UNL – Universidade Nova de Lisboa.

Comments: 0