Digressão mundial da banda Animals & Friends passa pelo festival internacional Reguengos Wine & Blues

Views: 119

Digressão mundial da banda Animals & Friends passa
pelo festival internacional Reguengos Wine & Blues
A banda sonora da terceira edição do festival internacional Reguengos Wine & Blues é composta
pela banda inglesa Animals & Friends, que surgiu dos lendários The Animals e integra dois membros
da formação da década de 1960, pelos portugueses Delta Blues Riders, pelos espanhóis Guitar Not So
Slim e pelos italianos T-Roosters. O Reguengos Wine & Blues tem entrada gratuita e decorre nos dias
14 e 15 de agosto no Parque de Feiras e Exposições de Reguengos de Monsaraz.

O festival está integrado na ExpoReg – 27ª Exposição de Atividades Económicas, é organizado pelo
Município de Reguengos de Monsaraz e produzido pela Trovas Soltas. Neste evento alia-se o Blues ao
vinho num concelho que registou a marca Reguengos de Monsaraz – Capital dos Vinhos de Portugal e
tem 11 empresas que anualmente produzem mais de 25 milhões de litros de vinho.

A primeira noite do Reguengos Wine & Blues vai abrir às 22h com a banda portuguesa Delta Blues
Riders. Provenientes do Porto, este grupo composto por Paulo Veloso (voz, piano, hammond,
guitarra, dobro e harmónica), Jorge Loura (guitarra), António Ferro (baixo) e Miguel Pardal (bateria)
apresenta um reportório em que reinventa as sonoridades que originaram o Blues. Esta banda foi a
vencedora do Portuguese Blues Challenge 2018 e representou Portugal no European Blues Challenge
2019, que este ano decorreu nos Açores.

O segundo concerto inicia-se às 23h30 e terá em palco a banda espanhola Guitar Not So Slim. Esta
banda de Cáceres é liderada pelo canadiano Troy Nahumko (guitarra e voz) e na sua formação estão
também os espanhóis Moi Martin (baixo e voz), José Luis Naranjo (harmónica) e Lalo Gonzalez
(bateria).
O grupo formou-se há cerca de uma década e o nome da banda inspira-se num guitarrista da década
de 1950, chamado Guitar Slim. Em palco apresentam Blues alegres com influências desde o
Mississipi até Chicago e que vão apelar à dança dos festivaleiros.