Mercado de Electrodomésticos:Região do Alentejo e do Porto sofrem efeitos da crise

Views: 412

Segundo o estudo Observador Cetelem, as intenções de compra de artigos de electrodomésticos dos portugueses para 2009 estão em alta, ao contrário das intenções dos europeus, que recuaram. No entanto, a nível nacional, a região do Alentejo e do Grande Porto têm revelado alguma dificuldade em fazer face a um ambiente económico desfavorável. Ambas as regiões apresentam as intenções de compra de electrodomésticos mais baixas a nível nacional.

 Segundo o Observador Cetelem que analisa o consumo das famílias nos grandes mercados europeus, em 2008, o consumo das famílias no mercado de electrodomésticos rondou os 629 milhões de euros, registando uma quebra de 11% face ao ano anterior. Esta é uma quebra que se verificou quer a nível da linha branca, quer nos pequenos domésticos.

 Apesar das previsões de consumo para 2009 serem positivas, no que se refere ao mercado de electrodomésticos, o Alentejo e o Grande Porto são as regiões que têm revelado alguma dificuldade em manter o dinamismo no mercado de electrodomésticos.

 A nível nacional, 16% dos Portugueses manifestam intenções de compra de artigos deste sector, em 2009. Nas regiões do Alentejo e do Grande Porto, verifica-se que as intenções de compra de electrodomésticos não ultrapassam os 7%, um valor que corresponde a menos de metade da média nacional.

 Em termos globais, as compras de electrodomésticos não são as mais afectadas perante um cenário de aumento ou de diminuição de poder de compra. Apenas 1% dos portugueses, entrevistados pelo Observador Cetelem, encara aumentar as suas despesas em electrodomésticos, se o seu poder de compra melhorar nos próximos meses.

 O Observador Cetelem apresenta dados de inquéritos realizados em 13 países europeus a mais de 10.000 pessoas. O estudo apresenta dados de Portugal, Espanha, França, Bélgica, Alemanha, Reino Unido, República Checa, Eslováquia, Hungria, Itália, Sérvia, Polónia e Rússia. As análises e previsões foram efectuadas em Dezembro de 2008 em colaboração com a sociedade de estudos e de consultadoria BIPE (www.bipe.com). O estudo foi completado por um desk research e reúne a informação de diversas fontes em cada um dos mercados (INE, GfK, DGT, Nielsen, ANACOM, ACAP, IDP, Banco de Portugal, ASFAC, ALF e ARAC).

 O Cetelem acompanha há mais de 50 anos o desenvolvimento do consumo e das cadeias da distribuição no mundo. Apoiando-se no seu profissionalismo, o Cetelem implementou em França, em 1989, o Observador Cetelem, cujos estudos sobre o consumo, a distribuição e o crédito são fontes de informação e de reflexão ao dispor de todos os actores do mercado. A primeira edição portuguesa foi divulgada em 2000. O Observador Cetelem está presente em onze países: Alemanha, Bélgica, Brasil, Eslováquia, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal e República Checa.

 

Sónia Matos 

MulTicom

Comments: 0