Música: Jordi Savall e Pedro Estevan abrem hoje festival “Terras sem Sombra”

Views: 543

musicaBeja, 23 Jan (Lusa) – Um recital dos músicos espanhóis Jordi Savall e Pedro Estevan, considerados “peritos na recuperação de sonoridades esquecidas”, abre hoje, em Santiago do Cacém, o sexto Festival de Música Sacra do Baixo Alentejo “Terras sem Sombra”.

Fruto de muitos anos de investigação musicológica, o recital, que privilegia o diálogo entre Oriente e Ocidente, pondo em confronto “músicas antigas” e “músicas do mundo”, vai decorrer na Igreja Matriz de Santiago do Cacém, a partir das 21:30.

O festival itinerante “Terras sem Sombra”, promovido pelo Departamento do Património Histórico e Artístico (DPHA) da Diocese de Beja, vai decorrer até 08 de Maio e inclui sete concertos de música litúrgica e devocional e uma conferência em seis igrejas do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral.

O festival “associa a valorização da música sacra, apostando sobretudo em grupos e jovens intérpretes portugueses, à redescoberta das igrejas históricas de notável valor da Diocese de Beja”, disse à agência Lusa o director do DPHA, José António Falcão.

O programa deste ano, sob o tema “Limites Imensos – A Contemporaneidade na Música Antiga”, precisou, propõe “aprofundar as relações entre a música antiga e a expressão artística contemporânea”.

Após o concerto inaugural, segue-se, a 06 de Fevereiro, na Basílica Real de Nossa Senhora da Conceição, em Castro Verde, “Lux Perpetua: Improvisos sobre Música Sacra Medieval e Renascentista” do Mário Franco Ensemble.

A 20 de Fevereiro, na Igreja do Convento de Nossa Senhora da Conceição, em Almodôvar, actua o Quarteto Arabesco com “Requiem de W. A. Mozart (1756-1791): A Versão para Quarteto de Cordas de P. Lichtenthal (1780-1853)”.

As Vozes Alfonsinas, grupo português que se dedica à interpretação de música antiga, vão entoar “Cantares antigos: Da Aquitânia ao Brasil”, a 06 de Março, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção, em Alvito.

Na habitual conferência do festival, a 20 de Março, na Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, em Beja, o musicólogo Rui Vieira Nery irá abordar “A Música Antiga e a Máquina do Tempo: Redescoberta, Releitura, Reinvenção”.

Segue-se, a 10 de Abril, também na Igreja de Nossa Senhora dos Prazeres, “Um Discurso sem Palavras: Retórica na Música Instrumental Europeia dos Séculos XVII e XVIII” pelo Concerto Campestre, um grupo português de música de câmara especializado na interpretação de música antiga.

A 24 de Abril, o Ensemble Alpha dará um “Concerto Pedagógico: Os Caminhos da Música”, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção, em Grândola.

O “Terras sem Sombra” termina a 08 de Maio, naquela igreja de Grândola, com o concerto “Kleine Musik: Música de Heinrich Schütz (1585-1672) e Ivan Moody (1964)” do Sete Lágrimas Consort, um dos mais importantes ensembles de música renascentista, barroca e contemporânea em Portugal.

LL.

Lusa/Tudoben

Comments: 0