Turismo: Parque Alqueva passa a chamar-se Roncão d’el Rei e assinala terça feira início das obras

Views: 377

alqueva_imgO início oficial das obras do Parque Alqueva, em Reguengos de Monsaraz (Évora), projeto turístico que passa a designar-se Roncão d’el Rei, liderado pelo empresário José Roquette, é assinalado terça feira, numa cerimónia presidida pelo primeiro ministro.

A Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz revelou hoje que a cerimónia, às 11:00, decorre na Herdade do Roncão, próximo de S. Marcos do Campo (Reguengos de Monsaraz), uma das três propriedades agrícolas envolvidas do complexo.

O primeiro ministro, José Sócrates, vai presidir ao arranque oficial das obras do empreendimento, classificado como de Potencial Interesse Nacional (PIN) e que prevê quase mil milhões de euros de investimento global, a concretizar ao longo de duas décadas, revelou o município.

O ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva, e o ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, António Serrano, também participam na cerimónia.

O Parque Alqueva, que vai “nascer” nas margens da albufeira de Alqueva, está a cargo da Sociedade Alentejana de Investimento e Participações (SAIP), liderada pelo empresário José Roquette.

A SAIP adiantou hoje ter contratado Len Silverfine, especialista em marketing estratégico na área do turismo sustentável, para assumir a definição estratégica da política de marketing do empreendimento.

A intervenção deste especialista começou pelo “branding” do projeto, que passa agora a assumir a “marca” Roncão d’el Rei, para evocar o peso histórico da herdade, antiga zona de caça do rei D. Carlos.

As obras da primeira fase do complexo turístico, num investimento de 80 milhões de euros, estão em curso desde o último trimestre do ano passado e a sua conclusão está prevista para o terceiro trimestre de 2012.

A edificação da primeira fase do Hotel do Monte, com 81 quartos, o Wine Club e um campo de golfe, com Club House, na Herdade do Roncão são as valências da etapa inicial.

A SAIP pretende afirmar Roncão d’el Rei como “um novo pólo de desenvolvimento turístico, de elevada qualidade e com grande controlo ambiental, contribuindo para a criação de emprego e aumento da capacidade exportadora da região”.

Com uma área total superior a dois mil hectares, quando finalizado, o Roncão d’el Rei vai englobar sete hotéis, quatro campos de golfe, aldeamentos turísticos, duas marinas, centro equestre ou campo de férias.

Unidades de saúde, produção de agricultura biológica, centro de avifauna e percursos de observação da natureza, centros de conferências, praia fluvial, parque arqueológico, reserva animal e uma quinta pedagógica são outras das valências do projeto.

O complexo prevê criar 2.103 postos de trabalho diretos e cerca de três mil indiretos, de acordo com a SAIP, que tem como acionista a Sociedade Turística de Desenvolvimento do Alentejo (STDA), em que participam a GESPARTE, controlada por José Roquette, a SEMPRA SGPS, detida por Henrique Bandeira Vieira, e um conjunto de outros acionistas.

RRL.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Tudoben

Comments: 0