Vinhos: Adega de Borba exporta 15 pc e quer apostar nos mercados da Rússia e Índia

Views: 498

vinhosBorba, Évora – A Adega Cooperativa de Borba, que exporta 15 por cento do volume de vendas de vinho, pretende consolidar os clientes conquistados em cerca de 25 países e apostar em mercados como a Rússia e Índia.

Em declarações à agência Lusa, o director técnico da adega, Óscar Gato, observou que, nos últimos cinco anos, a empresa tem mantido a quota de exportação de 15 por cento do volume de vendas.

A empresa, de acordo com o responsável, tem apetência pelo mercado asiático, onde já conquistou clientes, sobretudo em Macau e China, embora também exporte para a Coreia do Sul e Japão.

Óscar Gato indicou que a adega exporta para cerca de 25 países, entre os quais Angola, Cabo Verde, Canadá, Estados Unidos e Brasil.

Alemanha, França, Luxemburgo, Bélgica, Holanda, Suíça e Suécia constituem os principais mercados europeus do vinho da Adega Cooperativa de Borba.

“Pretendemos consolidar estes mercados e tentar outros, como a Rússia e Índia, para aumentar as exportações”, salientou Óscar Gato.

“Mas há ainda um trabalho a desenvolver para conseguirmos exportar os nossos vinhos para aqueles dois mercados, que são atractivos”, adiantou.

O director técnico indicou que na produção de 2009 a adega de Borba foi “irreverente” em relação ao Alentejo.

“A adega registou um aumento de 15 por cento face a 2008, totalizando 8,5 milhões de litros, mas mesmo assim uma produção inferior à média dos últimos cinco anos, que é de 11,5 milhões de litros”, acrescentou.

Para além do aumento de produção, Óscar Gato garantiu que “o vinho da Adega de Borba obteve um acréscimo de qualidade”.

De acordo com Márcia Farinha, responsável pelo departamento de marketing e relações públicas, a empresa de Borba coloca anualmente no mercado entre 12 a 15 milhões de garrafas, 70 por cento de vinho tinto e 30 por cento branco.

Márcia Farinha salientou que o mercado nacional absorve 85 por cento das vendas da empresa, que pretende aumentar, este ano, a presença no canal Horeca (hotelaria, restaurantes e cafés) e manter a grande distribuição.

A adega, segundo a responsável, lançou no mercado recentemente, quatro vinhos monovarietais com a marca Senses, um branco (casta Antão Vaz), e três tintos (castas Aragonez, Syrah e Touriga Nacional), da colheita de 2008.

Também recentemente, a adega lançou no mercado o Montes Claros Garrafeira 2005, distinguido com vários prémios em concursos internacionais.

Convento da Vila, Adega de Borba, Montes Claros, Adegaborba.pt e Galitos, constituem as principais marcas da empresa.

A Adega Cooperativa de Borba, cujos vinhos têm vindo a ser distinguidos com prémios em concursos de âmbito nacional e internacional, pretende, segundo a responsável do departamento de marketing, desenvolver a curto prazo a área do enoturismo.

O volume de negócios da empresa, de acordo com o director técnico, atingiu em 2009 cerca de 20 milhões de euros, registando um decréscimo de cinco por cento em relação a 2008.

A adega reúne 300 viticultores que cultivam uma área de vinha de 2.100 hectares (75 por cento uvas tintas e 25 por cento uvas brancas), nos concelhos alentejanos de Borba, Estremoz e Vila Viçosa.

Fundada em 1955, foi a primeira de um conjunto de adegas cooperativas constituídas no Alentejo.

TCA.

Lusa/Tudoben

Comments: 0