Elvas: Comissão Trabalhadores do Grupo Pestana denuncia pressão sobre funcionária

Views: 680

Comunicado de imprensa:

Grupo Pestana Pousadas pressiona trabalhadora com dois filhos menores de 7 anos para se deslocar para mais de 160 km do seu local de trabalho

pousada_elvasO Grupo Pestana Pousadas – Investimentos Turísticos SA, concessionária dos direitos de exploração das Pousadas de Portugal, cujas práticas para conseguir a saída dos trabalhadores da empresa se baseiam nas saídas “amigáveis”, rescisão contratos por mútuo acordo, muitos deles sob ameaça extinção postos trabalho, e quando os trabalhadores não aceitam através de processos disciplinares, tem neste momento em andamento mais um dos seus processos.

A trabalhadora Ana Cristina Fernandes da Pousada de Elvas, com dois filhos de 3 e 6 anos, está a ser obrigada a deslocar-se de Elvas para Beja (163 km), para aí receber “formação em ambiente real de trabalho”.

Acontece que essa formação pode ser dada numa das Pousadas Históricas da rede, nomeadamente, em Vila Viçosa (33 Km), Estremoz (43 Km) ou até Évora (85 Km).

Porque será que obrigam uma trabalhadora, com dois filhos menores de 3 e 6 anos a fazer 326 Km num dia para poder estar à noite com os filhos?

A CT, conhecendo outros processos, pode responder: Fazem-no para que a trabalhadora não cumpra, e assim lhe instaurarem outro processo disciplinar com vista ao despedimento

Esta alegada “formação em ambiente real de trabalho” tem a trabalhadora recebido desde 26 Junho de 2010, desde que regressou ao posto de trabalho, na Pousada de Elvas, pois nunca mais a empresa a deixou exercer as suas funções sem ser acompanhada, a não ser que esta formação não sirva, pois na realidade o que a Empresa está a fazer é impedir a trabalhadora de exercer as suas funções.

A CT denuncia assim estas práticas, de constante humilhação e desvalorização de muitos trabalhadores da Pousadas, situações que configuram um verdadeiro assédio moral.

Comissão de Trabalhadores

F.G.

Comments: 0