Évora/Crise: Mais de mil famílias pediram apoio à Cáritas Diocesana de Évora em 2009

Views: 536

desemprego_notÉvora, 24 mar (Lusa) – Mais de mil famílias do Alentejo e do Ribatejo procuraram a Cáritas Diocesana de Évora no ano passado, pedindo sobretudo apoio financeiro, vestuário e alimentação, revelou hoje à Agência Lusa a diretora da instituição.

“No ano passado, atendemos mais de mil famílias. Nós também sentimos um acréscimo de necessidades aqui na nossa região e muitas delas têm a ver com o custo de vida e a falta de emprego”, disse Maria do Anjo Marques, diretora da Cáritas Diocesana de Évora.

De acordo com a mesma responsável, há famílias na região que “não conseguem fazer face às despesas mensais e recorrem, muitas vezes, à Cáritas para fazer o pagamento de telefone e da eletricidade e também na área da saúde, como na compra de medicamentos e de exames médicos”.

Além do apoio financeiro, a instituição fornece aos mais carenciados cabazes de alimentos, em colaboração com a Segurança Social e o Banco Alimentar, mas que se tornam insuficientes perante a procura.

“Nós próprios temos que adquirir alimentos para fornecer às pessoas”, porque “o que vem da Segurança Social e do Banco Alimentar é insuficiente”, explicou Maria do Anjo Marques.

Por outro lado, a Cáritas de Évora, que abrange a totalidade dos concelhos do distrito de Évora e alguns de Portalegre, Santarém e Setúbal, registou um aumento significativo de pedidos de roupa.

“Vemos pessoas da classe média que no passado não recorriam ao roupeiro e agora já começam a recorrer, não apenas da cidade de Évora, mas também de localidades próximas”, alertou Maria do Anjo Marques, indicando ainda que aparecem na instituição “famílias muito endividadas”.

Com este tipo de problemas “é mais difícil de ajudar, mas mesmo assim tentamos orientar as pessoas para reduzirem a sua dívida”, afiançou.

O apoio social aos imigrantes, sobretudo brasileiros e do Leste Europeu, “também eles afetados pelo problema do desemprego”, é outra das valências da Cáritas Diocesana de Évora.

Através de “um clube de emprego”, segundo a diretora da instituição, a Cáritas coloca os imigrantes “a prestar serviços domésticos em casas de famílias e apoio a idosos que estão sozinhos em casa”.

Já os idosos e os adultos em idade ativa constituem-se como os grupos que mais preocupam a Cáritas de Évora, registando-se “uma grande procura de ajuda, devido ao problema do envelhecimento e da solidão”.

SYM.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Tudoben

Comments: 0