Marvão: Empresa de Pais do Amaral suspende negócio do campo de golfe de Marvão

Views: 477

marvao_notPortalegre, 20 Nov (Lusa) – A empresa “The Edge Group”, ligada ao empresário Pais do Amaral, revelou hoje que suspendeu a compra do campo de golfe de Marvão (Portalegre), por ter sido inviabilizada a aquisição do aldeamento turístico adjacente ao golfe.

“Nós suspendemos o negócio, porque neste momento é impossível concretizar a transacção do empreendimento (aldeamento turístico) porque tem uma série de processos judiciais registados”, disse à agência Lusa o administrador da “The Edge Group” José Luís Pinto Basto.

De acordo com o responsável, os processos foram interpostos pelos intermitentes compradores de fracções ao tempo da gestão do ex-governador de Macau Carlos Melancia (empresa Bevide) e outros que contrataram a compra dessas fracções com o Grupo Fernando Barata.

“Os processos judiciais estão em curso, registados no imóvel e não é possível fazer a transacção sem a permissão desses intermitentes compradores”, sublinhou.

José Luís Pinto Basto garantiu ainda que a empresa que representa tentou negociar com os intermitentes compradores, mas as negociações revelaram-se infrutíferas.

Inaugurado em 1997, o campo de golfe situa-se no centro de uma moldura única em pleno coração do Parque Natural da Serra de São Mamede, tendo sido considerado em 2000, pela Federação Portuguesa de Golfe, “O Campo do Ano”.

Ao abandono há alguns anos, costumando mesmo servir para as ovelhas pastarem, o golfe de Marvão tem adjacente o empreendimento turístico Aldeia D’Azenha.

Em Junho deste ano, o presidente do município de Marvão, Vítor Frutuoso, confirmou à Lusa que a “The Edge Group” tinha adquirido o campo de golfe no decorrer de uma hasta pública, realizada no Tribunal de Castelo de Vide.

De acordo com o mesmo, a aquisição do campo de golfe por parte da empresa ligada ao empresário Pais do Amaral foi efectuada, “mediante um ajuste directo”.

“A aquisição do campo de golfe é condicionada, porque não interessa ao investidor comprar só o campo de golfe.

A empresa adquiriu aquele equipamento mediante a condição de adquirir também o aldeamento turístico que está erguido em redor do campo de golfe”, explicou.

José Luís Pinto Basto voltou hoje a reafirmar este mesmo facto para que o negócio fosse fechado “da melhor maneira”.

Fonte judicial disse também à Lusa que a proposta apresentada pela empresa de Pais do Amaral para a aquisição do empreendimento situava-se “um pouco acima dos 750 mil euros”.

O “The Edge Group” projectava recuperar todo o espaço degradado daquele equipamento e ainda construir um hotel com cerca de 100 quartos.

HYT

Lusa/Fim

Comments: 0