Mau Tempo: Alentejo com prejuízos de mais de um milhão de euros

Views: 555

obrasÉvora- O mau tempo das últimas semanas afectou vários concelhos do Alentejo, como Ourique em que os prejuízos estão contabilizados em “quase um milhão de euros”, segundo o presidente do município local, que apela à “ajuda do Governo”.

Pedro do Carmo explicou à agência Lusa que as chuvadas danificaram uma das principais condutas que abastece o depósito de distribuição de água à vila de Ourique e provocaram estragos em pontões, estradas municipais e caminhos rurais do concelho, num prejuízo avaliado em “700 mil euros”.

As fortes chuvadas provocaram ainda a “morte de alguns animais, destruíram culturas e danificaram vedações” em propriedades de “cerca de 20 agricultores” da freguesia de Ourique, causando prejuízos “superiores a 250 mil euros”.

Tal como Ourique, também os concelhos de Moura e Odemira foram afectados pelo mau tempo, com inundações em casas e lojas e estragos em infra-estruturas municipais.

Em Moura, a chuva intensa que caiu a 23 e 29 de Dezembro em Sobral da Adiça voltou a fazer transbordar a ribeira que atravessa a aldeia, tendo as cheias inundado casas, lojas e ruas sem provocar vítimas nem desalojados, mas causando estragos e prejuízos que ainda estão a ser avaliados pela Câmara.

Em Odemira, a chuva intensa de 23 de Dezembro também fez subir o nível da água da ribeira de Sabóia, o que provocou inundações em cinco casas e duas lojas na zona baixa da localidade e obrigou ao realojamento temporário de sete pessoas.

As fortes chuvadas causaram também estragos em caminhos municipais e pontões nas freguesias de Sabóia, Santa Clara-a-Velha e Luzianes-Gare, segundo a Câmara de Odemira, que está a avaliar os prejuízos particulares e públicos e os apoios a prestar aos afectados.

No litoral alentejano, 110 mil euros é quanto vai custar ao município de Sines a substituição do telhado do Pavilhão Municipal de Desportos da cidade, depois de, na madrugada de 30 de Dezembro, o vento forte ter feito “levantar e cair” oito telhas de lusalite.

“As telhas do Pavilhão Municipal levantaram com o temporal e a cobertura tem de ser toda substituída”, disse o vereador responsável pela Protecção Civil, António Nogueira, avançando que este “é o maior prejuízo” no concelho, que obriga à substituição de toda a cobertura e à adequação da iluminação.

Buracos na via são outros dos prejuízos, mas “não contabilizados ainda”, dado que são reparados pelos serviços da própria autarquia.

Em Évora, a governadora Civil, Fernanda Ramos, explicou à Lusa que a Comissão Distrital de Protecção Civil já solicitou aos municípios informação sobre os prejuízos causados pelo mau tempo das últimas semanas, tendo apenas recebido ainda informação respeitante aos concelhos de Reguengos de Monsaraz e Viana do Alentejo.

Em Reguengos de Monsaraz, as situações prendem-se com a vila medieval de Monsaraz, em que um troço de cerca de 50 metros da muralha pode “ruir a qualquer momento” e aconteceu mesmo a derrocada de um imóvel situado naquele aglomerado classificado.

LL/AYN/RRL.

Lusa/Tudoben

Comments: 0