Odemira: Padre sequestrado em Pinheitro da Cruz conta a história em livro

Views: 609

O Padre Júlio Lemos apresenta este domingo o livro “20 Horas”, onde conta, na primeira pessoa, o drama vivido a 05 de Novembro de 2006, durante o sequestro de que foi vítima no Estabelecimento Prisional de Pinheiro da Cruz.

    “O que eu passei para o papel foi o que eu vivi e o que eu senti”, disse à Lusa Júlio Lemos, recordando que esteve cerca de 20 horas com um dispositivo montado à volta do pescoço, que lhe poderia pôr termo à vida com um simples movimento de qualquer um dos dois sequestradores.

    “Este livro não é só um relato exterior, mas também um relato interior, de mim mesmo. Aquelas horas ali foram eternas. E, apesar de terem sido ‘só 20 horas’, eu pensei que seriam as minhas últimas horas de vida”, acrescentou.

    De acordo com o relato de Júlio Lemos, os dois reclusos nunca lhe retiraram o dispositivo que o poderia matar a qualquer momento, apesar de lhe terem garantido várias vezes que nada lhe aconteceria, independentemente do desfecho do sequestro.

    Entretanto colocado na Igreja de Sabóia, no concelho de Odemira, o Padre Júlio Lemos lembra com emoção o momento em que começou a cantar, acompanhado pelos dois reclusos.

    “O que aconteceu ali (no Estabelecimento Prisional de Pinheiro da Cruz) foi quase uma visão. Eu comecei a cantar, acompanhado pelos dois reclusos que me sequestraram, quando um deles dizia que era ateu e o outro que nunca tinha cantado”, disse.

    “De repente, naquela igreja enorme, talvez pelo eco, parecia que estava ali um coro de umas vinte pessoas a canta. Uma coisa extraordinária”, recordou o Padre Júlio Lemos.

    Dois anos depois do sequestro, que acabou na madrugada do dia seguinte com uma intervenção táctica das forças especiais da GNR, Júlio Lemos conta em livro as “20 horas” mais difíceis que viveu ao longo de toda a sua vida.

    A apresentação do livro “20 Horas” terá lugar pelas 15:30 de domingo, no Centro cultural e Recreativo da Igreja de Sabóia, concelho de Odemira.

   

    GR.

    Lusa/Tudoben

Comments: 0