Portalegre: Elementos do B.E. reunem com NERPOR

Views: 492

Comunicado de Imprensa

Reunião: BE / NERPOR

No dia 07 de Setembro de 2009, pelas 16H30, os candidatos Paulo Cardoso (Legislativas – Portalegre) e Marco Ferreira (Autárquicas – C.M.P.) pelo Bloco de Esquerda, foram recebidos nas instalações do NERPOR pelo seu Presidente.
Deste encontro registaram-se as seguintes questões que o BE assume como importantes:

  • Um dos nossos problemas assenta na demografia e geografia do distrito. Tal agravado por sucessivos governos e deve ser combatido com a descentralização de serviços públicos ao nível de Direcções que PS, PSD/CDS enviaram para Évora.
  • Aproveitar o «know-how» do NERPOR e outras Associações para criar um Instituto de Actividade Económica, apoiado pelo estado para desenvolvimento de empresas e actividade comercial transfronteiriça, com técnicos que desenvolvam e apoiem os projectos.
    Bem como os candidatos do BE, o NERPOR manifestou o apoio total ao projecto do TGV (Lisboa – Badajoz) e o descontentamento pelo seu atraso por motivos políticos. Neste contexto a qualidade da ligação rodoviária e ferroviária entre Elvas e Portalegre é determinante para o desenvolvimento do distrito, implementando, também, a melhoria das relações com a Extremadura espanhola.
  • Complicando os problemas da nossa interioridade, realçou-se que a ineficiente ligação ferroviária a Portalegre através de um apeadeiro a 10 km da cidade, é um factor negativo e comprometedor do desenvolvimento local.
  • A actividade hoteleira e turística, carece de um plano de actividades anual. A Câmara Municipal deve dar o apoio de retaguarda aos vários agentes culturais e desportivos (que se encontram desapoiados) para garantir essas actividades.
  • Em relação às indústrias locais, o caso Robinson continua a ser uma “novela”, ainda sem desfecho à vista. A situação das pedreiras, nomeadamente a Singranova é preocupante quanto ao seu futuro, mas também devido aos trabalhadores que têm os salários em atraso. Quanto à antiga Finicisa (Selenis, Evertis e Arténius) e a preocupante definição da Quinta do Bispo como zona urbana em PDM, fica também a preocupação da paragem do projecto de Sines (Arténius) e a grave situação financeira do grupo Catalão, La Seda.
  • Em relação à zona industrial, destaca-se o facto de não ter havido uma estratégia, clara e consistente, no sentido da dinamização do tecido empresarial de Portalegre. Concretizando, existem carências e erros infra-estruturais numa zona industrial que não tem tido a divulgação e promoção adequadas por parte da Câmara Municipal.
Comments: 0