Primeiro-Ministro em Reguengos de Monsaraz para o início oficial das obras do Parque Alqueva

Views: 778

Município vai assinar protocolo para criação de emprego no empreendimento turístico para a população do concelho

Primeiro-Ministro em Reguengos de Monsaraz para o início oficial das obras do Parque Alqueva

alquevaO Primeiro-Ministro vai estar em Reguengos de Monsaraz hoje dia 20 de Abril, pelas 11h, na cerimónia do início oficial das obras do Parque Alqueva, um projecto turístico da Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada pelo empresário José Roquette. José Sócrates vai estar acompanhado pelo Ministro da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento, Vieira da Silva, e pelo Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas, António Serrano. A cerimónia vai decorrer na Herdade do Roncão e integra a visita às obras do empreendimento turístico.

As obras da primeira fase do Parque Alqueva decorrem desde o último trimestre do ano passado e compreendem a edificação da primeira fase do Hotel do Monte, com 250 camas, o Wine Club e um campo de golfe na Herdade do Roncão, num investimento de cerca de 80 milhões de euros. Esta primeira etapa do empreendimento turístico deverá estar finalizada em 2012.

Nesta cerimónia, o Município de Reguengos de Monsaraz vai assinar com a SAIP e o Instituto de Emprego e Formação Profissional um protocolo de colaboração e de cooperação para a criação de emprego no Parque Alqueva. Este documento tem como objectivo promover oportunidades de emprego e de inserção profissional da população residente no concelho de Reguengos de Monsaraz, quer na fase de construção, quer na de exploração do empreendimento turístico.

Através deste protocolo, o Município e a SAIP assumem um compromisso de desenvolverem a articulação e a divulgação de um plano de ofertas de emprego, assim como promoverem a captação e a triagem das propostas de emprego e a inclusão dos candidatos com o perfil mais adequado. O plano de ofertas de emprego integrará o número de vagas existentes ou de postos de trabalho a ocupar por ano e os níveis de qualificação exigidos.

O processo compreende a recolha de candidaturas de cidadãos desempregados ou à procura do primeiro emprego que posteriormente vão integrar uma bolsa de potenciais colaboradores e trabalhadores da SAIP. Os candidatos às ofertas de emprego vão ser também encaminhados para formação profissional para aquisição de competências específicas adequadas ao perfil do desempenho profissional e de qualificação exigidas pelo Parque Alqueva.

José Calixto, presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz considera que “o protocolo vem na prossecução da política activa de desenvolvimento económico e social que está a ser implementada no concelho e que visa a captação de novos investimentos produtivos, com particular destaque para os sectores que melhor contribuam para a criação de emprego que fixe e atraia população, como é o caso do turismo”. O autarca destaca que “o Parque Alqueva implica um elevado volume de investimentos e contribuirá decisivamente para o reforço da base económica do concelho e para a criação de emprego, pelo que a autarquia vai proporcionar um acompanhamento personalizado aos munícipes desempregados e encaminhá-los para as ofertas de emprego asseguradas pelo empreendimento turístico”.

Na cerimónia, o Município de Reguengos de Monsaraz vai também assinar com a SAIP um protocolo de intenções para estabelecer os termos para a celebração de um futuro acordo entre as duas entidades com vista à execução do Plano de Pormenor do Parque Alqueva (PPPA). Este acordo visa definir as características dos loteamentos e das edificações na área abrangida pelo PPPA, as regras de cooperação para apreciação dos projectos de operações urbanísticas que venham a entrar no Município e sua respectiva tramitação e as regras para a execução das obras de urbanização abrangidas pelo PPPA. O documento vai descrever também as obrigações das entidades na construção, manutenção e gestão das infra-estruturas e serviços gerais necessários à construção, exploração e funcionamento dos empreendimentos turísticos e as regras referentes a cedências, taxas urbanísticas e compensações.

A SAIP vai também assinar nesta cerimónia o protocolo com a entidade gestora do primeiro hotel do Parque Alqueva, nomeadamente a Alila. Os hotéis e resorts da Alila são membros Design Hotels e localizam-se em destinos turísticos como as Maldivas, Indonésia, Tailândia, Índia, China ou Oman.

Sobre o Parque Alqueva:

O Parque Alqueva é um empreendimento turístico considerado de Potencial Interesse Nacional (PIN) pelo governo e vai ser construído ao longo das próximas duas décadas (até 2029) numa área de 2.074 hectares, no concelho de Reguengos de Monsaraz, pela Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada por José Roquette, num investimento de 940 milhões de euros.

O Parque Alqueva, empreendimento turístico que vai criar 2.103 postos de trabalho directo e cerca de três mil indirectos, pretende desenvolver-se em três herdades no concelho de Reguengos de Monsaraz, apresentando conceitos diferentes em cada uma delas. Cultura e sofisticação na Herdade do Roncão (739 hectares), vivência bucólica na Herdade das Areias (858 hectares) e vivência activa na Herdade do Postoro (477 hectares). Nestas comunidades, onde desenvolvimento, natureza e lazer se combinam para proporcionar experiências únicas e inesquecíveis, serão construídos sete hotéis, quatro campos de golfe de 18 buracos, aldeamentos turísticos com villas, townhouses e apartamentos, clube de golfe com Health & Fitness, Spa Vineoterapia, salão de jogos, restaurante, bar, salas para reuniões e espaço social, centro de conferências, centro hípico, campo de férias, praia fluvial, porto de recreio, comércio e serviços. Para além destas infra-estruturas, o Parque Alqueva terá ainda um parque arqueológico, agricultura biológica, quinta pedagógica, reserva animal, observatório de avifauna e percursos de observação da natureza, um centro desportivo com ginásio, campo multiusos, anfiteatro, duas piscinas (interior e exterior), parque de actividades ao ar livre, trails e a possibilidade de praticar desportos náuticos, ténis, ciclismo, hipismo, tiro com arco, entre outros.

As mais-valias ambientais deste projecto são: Plano Energético e Ambiental, Plano de Gestão de Resíduos, Plano de Gestão da Floresta e da Biodiversidade, Plano Hídrico, Plano de Gestão de Carbono, Plano de Gestão Ambiental para Campos de Golfe (Audubon International) e Sistema de Gestão da Sustentabilidade. Existem outras mais-valias como o Instituto do Alentejo (centro para a promoção e divulgação de arte e cultura local), a parceria com o Centro Arqueológico da Herdade dos Perdigões, a recuperação do Monte de Roncão d’el Rey e a protecção/valorização do património arqueológico relevante, a área destinada à agricultura em modo de produção biológica e o centro para a divulgação desta prática e dos seus produtos.

O Parque Alqueva é um projecto que tem agrupado um conjunto único de empresas nacionais e internacionais de estudos de mercado e concepção de empreendimentos turístico-imobiliários, em que o produto final consiste na criação de um conceito que alia os valores naturais e culturais do Alentejo e do Grande Lago Alqueva às tendências mais recentes da procura turística mundial.

Sobre a SAIP

A SAIP foi constituída em 2002 com o objectivo de proceder à concepção, elaboração, desenvolvimento e promoção do projecto Parque Alqueva. Tem como accionista a Sociedade Turística de Desenvolvimento do Alentejo (STDA) em que participam a GESPARTE, controlada por José Roquette, a SEMPRA SGPS, detida por Henrique Bandeira Vieira e um conjunto de accionistas executivos do projecto, como André Roquette, Alfredo de Sousa, António Eça Pinheiro e José Belmar.

C.B.

Comments: 0