Secretário de Estado defende criação de uma rede temática de arqueologia para região de Portalegre

Views: 833

arqueologiaO secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle, defendeu omtem a criação de uma rede temática de arqueologia no distrito de Portalegre, considerando esta medida “absolutamente necessária” para o desenvolvimento daquela região em tempos de crise financeira.

“A criação de uma rede temática de arqueologia nesta região, que junte a cidade romana de Ammaia (Marvão) e a Estação Arqueológica de Ferragial d´El Rei, em Alter do Chão, é absolutamente necessária para o seu desenvolvimento”, disse.

Elísio Summavielle falava à agência Lusa, à margem da inauguração do espaço das ruínas romanas da Estação Arqueológica de Ferragial d´El Rei, em Alter do Chão, local que considerou “notável”.

A inauguração do espaço, classificado como Imóvel de Interesse Público em 1982, constituiu um dos pontos altos das comemorações do Dia do Município de Alter do Chão.

Para preservar, projetar e atrair turistas para aquele espaço, o governante defendeu que é “necessário” o empenhamento transversal de todos os setores da economia (cultura, turismo e autarquia de Alter do Chão), para encontrar os “recursos necessários” para “valorizar” aquelas ruínas.

Apesar da crise financeira que o país atravessa, Elísio Summavielle advogou que este tipo de investimentos deverão ser executados, uma vez que os investimentos públicos em património “nunca são muito vultuosos”.

“São pequenas sementes que se deitam à terra e que são imediatamente reprodutivas. E temos prova disso através do investimento que está a ser feito nalguns dos nossos parceiros europeus”, acrescentou.

“Estes investimentos são altamente produtivos em termos de visitação, em termos de turismo temático e tudo aquilo que ele envolve, porque à volta de um património construído vem o outro património imaterial, como os restaurantes e a gastronomia”, sustentou.

Durante a visita que efetuou a Alter do Chão, Elísio Summavielle, inaugurou ainda um laboratório de estudos, um centro de interpretação das ruínas romanas e um espaço denominado “Clube do Património”.

Entre os vários atrativos que a cidade romana de Abelterium (Estação Arqueológica de Ferragial d’El Rei) tem para oferecer aos visitantes, encontra-se um mosaico romano, de grandes dimensões e “único” na Península Ibérica, que foi descoberto durante os trabalhos de arqueologia, em 2008.

Esta peça arqueológica, apelidada pelo secretário da Cultura como a “joia da coroa”, remonta ao século IV e foi descoberta numa casa de um “aristocrata ou político” que continha um mosaico no triclínio da habitação.

O mosaico é figurativo, apresenta a figura da Medusa como figura central e retrata ainda uma representação homérica, da Ilíada (poema épico grego atribuído a Homero).

Em declarações à Lusa o presidente da Câmara de Alter do Chão, Joviano Vitorino, revelou que nos últimos anos o município investiu nas ruínas e nos noutros espaços relacionados com a temática cerca de “um milhão de euros”.

“Este investimento tem como objetivo atrair turistas e acima de tudo esperamos que venha contribuir para o desenvolvimento da economia local”, declarou.

HYT

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Tudoben

Comments: 0