Ambiente: Valnor investe 2,5 ME em estações de transferência, triagem e tratamento de resíduos de construção e demolição

Views: 800

Portalegre – A Valnor, empresa responsável pela reciclagem de lixo no Norte Alentejano, anunciou hoje ter investido mais de 2,5 milhões de euros em estações de transferência, triagem e tratamento de resíduos de construção e demolição.

valnor_not-150x140Em declarações à agência Lusa, o administrador-delegado da empresa multimunicipal Valnor – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, Pinto Rodrigues, sublinhou que os investimentos “já geraram vinte postos de trabalho”.

De acordo com o responsável, a última estação de transferência, triagem e tratamento de resíduos de construção e demolição/ecocentro a surgir no distrito de Portalegre vai ser inaugurada na quarta-feira, pelas 10:30, no concelho de Gavião.

A reciclagem, triagem e valorização de resíduos de construção e demolição pretende contribuir para um melhor ambiente, reduzindo a quantidade de entulhos a depositar em aterro, bem como a redução do consumo de recursos naturais, contribuindo também para a produção de materiais reciclados com baixo custo.

A implementação das estações naquela região alentejana está inserida num plano desenvolvido pela Valnor, denominado “Mais Global”.

“Com a inauguração da estação de Gavião, que contou com um investimento superior a 331 mil euros, o distrito de Portalegre fica completo. Está totalmente abrangido pelo programa”, assegurou.

“O programa Mais Global teve início em 2007 e, desde essa altura, inauguramos estações deste género em Portalegre, Campo Maior, Ponte Sor, Castelo de Vide e na sede da Valnor, em Avis”, recordou.

A iniciativa contou com o financiamento da União Europeia, através do Programa Operacional Regional do Alentejo (INALENTEJO), em cerca de 40 por cento.

Segundo Pinto Rodrigues, a ideia base deste plano passa por possuir estruturas fixas de recepção deste tipo de materiais (entulhos), numa área reduzida, com uma distância máxima entre si de vinte e cinco quilómetros.

“Quem precisar de despejar os restos de uma obra que fez, não tem que andar mais de vinte cinco quilómetros para ter o problema resolvido”, sublinhou.

Pinto Rodrigues acredita que, no distrito de Portalegre, sejam produzidas 40 mil toneladas anuais de resíduos de demolição e construção, situação que está a ser controlada pela Valnor com a implementação das estações naquela região.

“Em 2007, recolhemos três mil toneladas, em 2008 cerca de sete mil e em 2009 recolhemos 12 mil toneladas”, disse.

“Nós temos vindo a crescer e acreditamos que, actualmente, em que a construção está mais parada devido à crise, estamos a recuperar metade dos resíduos de demolição e construção produzidos no distrito de Portalegre”, sustentou.

Com a inauguração da estação de Gavião, a Valnor garante ainda dar resposta ao concelho de Mação (Santarém) que se encontra inserido na área de acção da empresa.

A Valnor é a empresa responsável pela gestão, valorização e tratamento dos lixos produzidos em 19 municípios, 15 deles do distrito de Portalegre, aos quais se juntam Mação, Sardoal e Abrantes (Santarém) e Vila de Rei (Castelo Branco).

De acordo com Pinto Rodrigues, o próximo projecto a desenvolver pela empresa nesta área passa por construir, em 2011, uma estação em Abrantes para abranger os concelhos de Sardoal e Vila de Rei.

HYT.

Lusa/Tudoben

Comments: 0