Estremoz: Município contrai empréstimos de mais de 1,66 ME para comprar imóveis e beneficiar estradas

Views: 868

estremoz_imgO município alentejano de Estremoz vai contrair dois empréstimos bancários, num valor global superior a 1,66 milhões de euros, para a compra de imóveis, como o Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, e beneficiação de estradas.

As contratações dos dois empréstimos já foram aprovadas pelo executivo camarário e pela Assembleia Municipal de Estremoz.

O empréstimo de valor mais elevado, que ascende a um milhão de euros, destina-se à aquisição de imóveis, explicou hoje à agência Lusa o presidente do município, Luís Mourinha, eleito por um movimento independente de cidadãos, acrescentando que, neste âmbito, 250 mil euros são para comprar o Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte.

O objetivo, precisou, é adquirir o imóvel histórico, que se encontra devoluto, no sentido de “recuperar” esse mesmo “património e colocá-lo ao serviço de Estremoz”.

O edifício, onde funcionou, durante muitos anos, a coletividade Círculo Estremocense, vai servir, depois de ser reabilitado, para acolher a Junta de Freguesia de Santo André, a ludoteca, um espaço para exposições e outros serviços do município, revelou o autarca.

Luís Mourinha adiantou ainda à Lusa que, ao adquirir este imóvel, que se encontra em estado de “degradação”, o município vai ceder aos seus atuais proprietários um lote de terreno na zona industrial de Arcos.

O Palácio dos Marqueses de Praia e Monforte, construído durante o reinado de D. João V, foi inicialmente utilizado como Paços do Concelho e, posteriormente, adquirido pelos marqueses de Praia e Monforte.

Ainda no que respeita ao empréstimo de mais de 1,1 milhões de euros, a Câmara Municipal vai aplicar outra parcela de 500 mil euros no pagamento de parte da indemnização por expropriação do prédio denominado “Herdade do Matinho”, destinado ao desenvolvimento da zona industrial de Arcos.

A aquisição de três prédios rústicos, um deles na freguesia de Santa Maria, onde estava instalada a empresa Mármores Batanete, junto ao cemitério de Estremoz, e para onde se pretende transferir o estaleiro do município, e dois na freguesia de Veiros, são os restantes projetos englobados no empréstimo de valor mais alto.

Já o outro empréstimo, que totaliza 535.773,46 euros, vai ser utilizado em empreitadas de beneficiação de estradas e de caminhos municipais, assim como à empreitada de construção de edifício comercial e espaço público contíguo.

Este edifício comercial foi construído para a instalação do mercado coberto da cidade.

TCA.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Tudoben

Comments: 0