Mau tempo: Quedas de árvores em todo o Alentejo e rebanho salvo em Fronteira

Views: 668

O mau tempo deste fim-de-semana no Alentejo obrigou os bombeiros a salvar um rebanho de ovelhas e cabras, de uma ribeira em Fronteira, e provocou a queda de cerca de meia centena de árvores na região.

Em declarações à agência Lusa, fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Portalegre explicou hoje que o rebanho, com perto de 50 ovelhas e cabras, foi salvo no domingo, por oito elementos dos bombeiros de Fronteira.

Contactada pela Lusa, fonte daquela corporação do Norte Alentejano adiantou hoje que os animais conseguiram passar para uma “espécie de ilha” na ribeira de Fronteira e, quando o caudal do curso de água aumentou, “não conseguiram sair de lá”.

“O dono é que deu o alerta, à tarde, porque a ribeira começou a encher e o rebanho ficou lá no meio”, disse.

Os bombeiros deslocaram-se ao local e, com a ajuda do cão do pastor, conseguiram resgatar os animais.

“Entrámos na ribeira, com água até à cintura e, com o cão, conseguimos mandar as ovelhas e cabras cá para o outro lado”, referiu a fonte dos bombeiros de Fronteira, garantindo que, “de vez em quando”, surgem ocorrências deste tipo.

O mau tempo que assolou o Alentejo este fim-de-semana, sobretudo no domingo, provocou também a queda de quase meia centena de árvores, nos distritos de Portalegre (22), Évora (14) e Beja (pouco mais de uma dezena).

Em Évora, segundo o respectivo CDOS, registaram-se ainda sete pequenas inundações, devido a algerozes e sarjetas entupidas.

No distrito, embora não possam ser directamente relacionados com a chuva e o vento fortes, ocorreram quatro acidentes de viação, todos com feridos ligeiros.

Quanto a Beja, o CDOS informou que foram realizadas três limpezas de via, para remoção de lama e ramos de árvores, e sinalizados lençóis de água em estradas.

“Também tivemos quatro prevenções junto a ribeiras em vias de transbordar. Os serviços municipais de protecção civil, os bombeiros e a GNR estiveram nesses locais, em prevenção, devido à proximidade de habitantes, mas não foi preciso actuar porque, entretanto, deixou de chover”, disse.

Já em Portalegre, o CDOS contabilizou ainda, no domingo, sete pequenas inundações, o deslizamento de três muros, sem provocar “vítimas ou outros danos”, queda de cabos eléctricos e de uma antena de televisão, o desentupimento de um esgoto ou a desempanagem de uma viatura automóvel.

RRL.

Lusa/Tudoben

Comments: 0