Minas: Mineiros deixam reunião com Pinho preocupados, mesmo com garantia de negociações com investidores “credíveis”

Views: 727

Os mineiros de Aljustrel reuniram ontem com o ministro da Economia, tendo abandonado o ministério preocupados e dispostos a continuar a lutar, ainda que o ministro lhes tenha garantido a existência de negociações com investidores “credíveis”.

    “Nós contactámos potenciais interessados em retomar a actividade, existem boas possibilidades, existem investidores credíveis e eu espero muito sinceramente que as negociações cheguem a um bom resultado”, declarou  o ministro da Economia, Manuel Pinho, à saída da reunião com representantes sindicais e da comissão de trabalhadores das minas de Aljustrel.

    “Já estivemos com os investidores e com a empresa canadiana na sexta-feira e afirmaram-nos que até ao início de Dezembro as negociações estarão concluídas, espera-se que com resultados positivos”, adiantou Manuel Pinho, que acrescentou não ser importante conhecer a identidade dos investidores em causa.

    O representante do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM), Jacinto Anacleto, disse aos jornalistas que não tinha saído do Ministério da Economia “mais tranquilo” e garantiu que do plenário de trabalhadores previsto para hoje vão sair novas formas de luta.

    O ministro da Economia mostrou-se confiante na obtenção de resultados positivos das negociações em curso que, disse, estarão concluídas no princípio de Dezembro.

    Manuel Pinho acrescentou também que gostaria que o sucesso das negociações incluísse a manutenção dos postos de trabalho e o fim das rescisões de contratos.

    Jacinto Anacleto reforçou também a proposta avançada pelo autarca de Aljustrel, que sugeriu a nacionalização das minas, dizendo que seria “desejável que o Governo assumisse as suas responsabilidades” e “adoptasse medidas como as que adoptou recentemente com um banco português”.

    No entanto, Manuel Pinho afirmou a esse propósito não querer fazer “conjecturas” e reforçou a necessidade de conduzir as negociações a um bom resultado.

    A Lundin Mining Corporation, empresa canadiana que detém a Somincor (da mina de Neves-Corvo) e a Pirites Alentejanas (Minas de Aljustrel) anunciou quinta-feira passada a suspensão da extracção e produção de zinco nos dois complexos mineiros, localizados no Distrito de Beja, indicando o interesse em vender o complexo.

    A empresa justificou a suspensão, que vai manter-se até que “haja uma recuperação dos preços”, com a baixa cotação do zinco no mercado e com a crise económica.

   

    IMA/AZM/NM.

    Lusa/Tudoben

Comments: 0