OE2010: Descida no PIDDAC de Beja é afronta para PCP, humilhação para PSD e apenas aparente para PS

Views: 2181

beja_brazao_notBeja, 28 Jan (Lusa) – O PCP considerou hoje uma “afronta” e o PSD uma “humilhação” a descida de 93,8 por cento nas verbas atribuídas ao distrito de Beja no programa de investimentos públicos deste ano e que o PS diz ser “aparente”.

Na distribuição regional das verbas do Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) de 2010, o distrito de Beja perde 67,1 milhões de euros, passando dos 71,5 milhões de euros em 2009 para 4,4 milhões de euros este ano.

Na distribuição por concelhos, Aljustrel, Castro Verde e Moura não têm verbas inscritas, Almodôvar é contemplado com 300 euros e Beja é o que recebe a maior verba (pouco mais de três milhões de euros).

“É uma clara afronta para o desenvolvimento do distrito de Beja”, disse à agência Lusa Miguel Madeira, da Direcção da Organização Regional de Beja do PCP.

Segundo o responsável, “a situação é mais grave”, porque a descida nas verbas do PIDDAC para o distrito de Beja “não é só de 2009 para 2010” mas “tem sido uma constante desde que o PS tomou o governo do país”.

As verbas do PIDDAC para o distrito de Beja “passaram de 134 milhões de euros em 2005 para 4,4 milhões de euros este ano”, lembrou.

A descida “confirma a humilhação que o Governo PS insiste em fazer ao Baixo Alentejo”, disse à Lusa o presidente da distrital de Beja do PSD, José Raul dos Santos, considerando que as verbas do PIDDAC deste ano para o distrito “desceram para valores inenarráveis”.

“O mais espantoso é não haver um único centavo para Aljustrel, Castro Verde e Moura” (o primeiro PS e os outros dois CDU), frisou, ironizando: “Devem ser concelhos muito ricos”.

Já o concelho de Beja, cuja Câmara Municipal foi conquistada pelo PS à CDU nas últimas eleições autárquicas, disse, “passou repentinamente a ser o menino bonito do Poder Central” enquanto o de Almodôvar (PSD) tem inscrito “uma verba ridícula de apenas 300 euros”.

“Atrás de Almodôvar só está Figueiró dos Vinhos, com 299 euros”, frisou José Raul dos Santos, referindo que “só resta vontade de dizer ao primeiro-ministro para ficar com eles e perguntar-lhe o que é que se pode fazer com 300 euros”.

Para o presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, Luís Pita Ameixa, a “descida significativa” das verbas para o distrito de Beja inscritas no PIDDAC deste ano é “aparente” e “não tem correspondência com os reais investimentos”.

“O PIDDAC é apenas uma pequena parte do Orçamento do Estado (OE) para 2010 e está cada vez mais em desuso”, frisou o também deputado do PS eleito pelo distrito de Beja, justificando a descida com “a alteração das regras da contabilidade do Estado”.

“Com as novas regras, o Estado inscreve noutros documentos determinado tipo de investimentos que antes apareciam no PIDDAC”, explicou.

Segundo Luís Pita Ameixa, “no OE para 2010, que é favorável para o distrito de Beja, há muitos milhões de euros para investimentos” no Baixo Alentejo, como Alqueva, Auto-estrada 26, remodelação de escolas e construção de lares, que “não aparecem no PIDDAC mas estão noutros lados”.

LL.

Lusa/Tudobenbeja6

Comments: 0