Saúde: 35 mulheres com cancro da mama apoiadas com próteses mamárias no litoral alentejano

Views: 486

santiago_cacem_braz_notSantiago do Cacém, 02 Out (Lusa) – Trinta e cinco mulheres do litoral alentejano já receberam próteses mamárias da associação Missão Coragem, que apoia as vítimas de cancro da mama e que promove, segunda-feira, uma caminhada em Santo André (Santiago do Cacém).

Com perto de dois anos de existência, a associação, nascida da “boa vontade de meia dúzia de carolos”, propõe-se ajudar as mulheres com cancro da mama nos cinco concelhos da região (Sines, Santiago do Cacém, Grândola, Alcácer do Sal e Odemira).

“Até hoje, já apoiámos 35 mulheres com este tipo de equipamentos”, revelou Nuno Oliveira, membro fundador da Missão Coragem e médico especialista em senologia no Hospital do Litoral Alentejano (HLA), onde já foram tratados 40 a 60 casos.

“Somos o primeiro e último recurso das mulheres que não têm possibilidade de os comprar”, realçou Nuno Oliveira, explicando, todavia, que ninguém fica excluído deste apoio.

“Próteses mamárias, soutiens adaptados e perucas são os materiais oferecidos pela associação a quem deles precisar, “independentemente do IRS ou da conta bancária”, garantiu.

Uma prótese mamária pode custar entre 150 a 180 euros e uma peruca cifra-se em 250 a 300 euros. Além do custo monetário, a compra destes materiais nem sempre é tarefa fácil para as mulheres com cancro da mama, que desconhecem onde são comercializados.

Apesar de registar uma média inferior à nacional no que respeita à incidência de cancro da mama (11 por cento, para 13 por cento de mulheres afectadas em todo o país), o litoral alentejano é palco de iniciativas alusivas à causa desde 1996.

“A primeira caminhada que realizámos, em 1996, tinha 120 pessoas. O ano passado, depois de já nos termos constituído enquanto associação, tivemos mil pessoas e este ano esperamos superar esse número”, declarou Dulce Dores, vice-presidente da associação, que soma 500 sócios.

A acção está marcada para segunda-feira, feriado, com ponto de encontro às 08:00, junto ao Mercado Municipal de Vila Nova de Santo André. Seguem-se nove quilómetros de caminhada pela cidade, “sensibilizando a população para esta causa”.

No sábado seguinte, a associação leva ao auditório municipal de Santiago do Cacém a peça “Rosa Esperança”, em que as protagonistas, ao invés de actrizes profissionais, são mulheres “que têm ou já tiveram cancro da mama”.

RE.

Lusa/Fim

Comments: 0