Estremoz: Pais “metem mãos à obra” para melhorar escola

Views: 971

Depois de décadas à espera de obras, a Escola Básica da Glória, uma aldeia do concelho de Estremoz, passou a funcionar em melhores condições graças ao empenho dos pais dos alunos que angariaram mais de 30 mil euros.

    “Esta escola, que consideramos modelo, deve ser a primeira do país requalificada por iniciativa dos pais dos alunos”, disse à agência Lusa Óscar Fonseca, representante dos pais.
O projecto liderado pelos pais conta com o apoio das professoras e educadora de infância, da Junta de Freguesia da Glória e de algumas empresas, tendo já sido investidos mais de 30 mil euros na requalificação do edifício e espaço de recreio e na aquisição de equipamentos.

    Óscar Fonseca justificou o empenho dos pais na concretização dos melhoramentos na Escola Básica 1/Jardim de Infância (EB1/JI) com o argumento de que estavam “fartos de esperar que o Estado ou o município de Estremoz interviessem”.

    “A escola esperou décadas pelas melhorias que necessitava e foi preciso a intervenção dos pais, que se organizaram, para as coisas se fazerem”, disse.

    “É tudo feito com o nosso esforço”, adiantou Óscar Fonseca, “com o apoio da sociedade civil e da Junta de Freguesia”.

    Os pais estão organizados, mas não legalizaram ainda a respectiva associação, contribuindo cada um com uma verba de dez euros por mês para fundo de maneio destinado a pequenas intervenções e gestão corrente, constituindo “um exemplo” de gestão numa escola.

    “Até ao final deste ano lectivo pretendemos concluir o projecto de melhoramentos”, prometeu Óscar Fonseca, que tem dois filhos, um rapaz e uma rapariga, a frequentar o estabelecimento de ensino.

    Óscar Fonseca disse haver “uma parceria bonita entre a Junta de Freguesia, que disponibiliza uma verba para a gestão do dia-a-dia da escola, e os pais dos alunos, cuja unidade é de realçar”.

    “Há pais desempregados que continuam a pagar as quotas para a escola”, observou.

    A escola, única na aldeia, situada numa freguesia rural com muitos montes dispersos, tem 36 alunos, 21 do 1º ciclo do ensino básico e 15 do jardim-de-infância, duas professoras, uma educadora de infância e três funcionárias.

    Até ao fim deste ano lectivo, o projecto, que se iniciou em 2007, vai ficar concluído com a remodelação dos sanitários, pintura exterior da escola e substituição do mobiliário escolar, sobretudo cadeiras e secretárias.

    Entre as obras já realizadas, com a colaboração dos pais, da Junta de Freguesia e de algumas empresas, contam-se a pintura interior da escola, climatização de todas as salas, estores novos, arrelvamento do pátio de recreio e reparação de muros e colocação de vedação.

    O arrelvamento do pátio só foi possível concretizar com o apoio de duas empresas do sector, assim como o equipamento para a climatização, que também foi oferecido por uma firma do ramo.

    No respeitante ao equipamento oferecido por empresas destacam-se computadores e impressoras novas, instalação da Internet sem fios e ligação dos computadores em rede, além da instalação de mobiliário e electrodomésticos na cozinha.

    A escola ganhou este ano um prémio de uma superfície comercial de Estremoz, no valor de mil euros em livros do Plano Nacional de Leitura, por ter sido o estabelecimento de ensino do concelho que reuniu mais pilhas para reciclar.

    A professora Maria Antónia Parrulas, coordenadora da escola, considera “fantástica” a intervenção dos pais na melhoria do funcionamento da escola, com os quais tem “colaborado sempre o melhor possível”.

    “Nas reuniões com os pais e nas festas que decorrem na escola, onde está toda a comunidade reunida, trocam-se impressões no sentido de melhorar as condições do estabelecimento de ensino”, realçou.

    O espaço físico da escola não era atraente, lembrou a professora, “mas com a relva no pátio e tudo arranjado os miúdos brincam de uma forma diferente”.

    “O espaço físico exterior está muito bonito e melhorado”, salientou.

    Para a professora, a escola é o único ponto que junta as pessoas da freguesia.

    “É um pólo dinamizador, fazemos festas e trazemos as pessoas à escola. Até os militares da GNR, envolvidos na acção Escola Segura, marcam presença”, disse.

    Desde há dois anos, segundo Maria Antónia Parrulas, é também realizada na escola a iniciativa “Dia dos Pais”.

    A docente realçou ainda o bom relacionamento que existe entre a escola e o município de Estremoz, que apoia os projectos apresentados através do agrupamento de escolas.

   

    TCA.

    Lusa/Tudoben

Comments: 0