Meteo: Chuva e vento forte colocam continente em aviso amarelo

Views: 5116

chuva_notA chuva e o vento forte previstos para hoje levaram o Instituto de Meteorologia a colocar em aviso laranja os arquipélagos dos Açores e da Madeira e sob aviso amarelo o continente, com excepção do distrito de Beja.

Tanto o arquipélago da Madeira, como o dos Açores estão sob aviso laranja, sobretudo devido à intensidade do vento, que pode atingir os 130 quilómetros/hora na Madeira, sendo também esperada agitação marítima.

A agitação e altura das ondas motivou o encerramento das barras de Caminha, Douro e Alvor e condicionou o acesso da barra da Figueira da Foz, interdito a embarcações de cumprimento inferior a onze metros.

O IM colocou a costa sul do continente sob aviso laranja, o segundo mais grave numa escala de quatro, devido à altura significativa das ondas, que podem atingir os cinco metros, enquanto a costa ocidental, a sul de Leiria, está sob aviso amarelo.

Para o dia de hoje, o IM prevê céu muito nublado, tornando-se pouco nublado ao longo do dia e períodos de chuva, por vezes forte, que vão passar a aguaceiros pouco frequentes.

A queda de neve deve ocorrer acima dos 500 metros, subindo gradualmente a cota durante a manhã.

Quanto ao vento, deve soprar fraco a moderado do quadrante norte, sendo temporariamente forte (até 40 quilómetros/hora) no litoral oeste e nas terras altas, soprando de sudoeste nas regiões do sul, até meio da manhã.

Estão também previstas neblinas ou nevoeiros matinais.

Quanto a temperaturas, o IM prevê uma pequena subida da temperatura máxima e um acentuado arrefecimento nocturno, em especial nas regiões do interior.

Para o Porto, a temperatura máxima prevista é de 12 graus centígrados, enquanto Lisboa não deverá passar dos 13º e Faro vai alcançar os 17º.

Face à situação meteorológica, a Autoridade Nacional de Protecção Civil colocou todo o continente em alerta azul desde as 14:00 de quinta-feira, até às 21:00 de domingo.

Neste período, segundo a Protecção Civil, é expectável a ocorrência de cheias rápidas em meio urbano, corte de estradas de devido neve ou gelo, desconforto térmico, danos em estruturas, deslizamentos de terras e dificuldades com embarcações.

HM

Lusa/fim

Comments: 0