Odemira: Farmácia centenária troca interior pelo litoral deixando 4500 pessoas sem serviço

Views: 708
farmacia
Foto: Arquivo

Odemira, Beja – A única farmácia da freguesia de Colos (Odemira), a funcionar há cerca de cem anos e que serve 4500 pessoas, vai mudar-se para uma localidade do litoral, o que surpreendeu os autarcas e deixou preocupados os habitantes.

Com uma população sobretudo idosa, alguns comerciantes contactados pela Lusa disseram que a maior preocupação se prende com quem precisa “de medicamentos todos os dias” e que vai ter “mais dificuldades” em obtê-los, até porque “não há transportes”.

Maria Felicidade, proprietária de um café, disse que as farmácias mais próximas “são talvez em São Martinho das Amoreiras (a cerca de 15 quilómetros), em Ourique, ou no Cercal do Alentejo (Santiago do Cacém)”.

“Vai acabar tudo nestas aldeias, é uma tristeza”, desabafou.

Outro comerciante disse que o fecho da farmácia é tema “de conversa nas ruas e nos cafés”, acrescentando que “por enquanto as pessoas estão um pouco preocupadas”, mas “quando fechar mesmo é que vão inteirar-se realmente da situação”.

O presidente da Câmara de Odemira, José Alberto Guerreiro, explicou à Agência Lusa que o pedido de transferência foi feito ao Infarmed (Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde), que o aprovou sem serem consultadas as autarquias locais.

“Ficámos surpresos com o pedido de transferência”, disse o autarca, explicando que “a portaria atualmente em vigor permite a transferência de farmácias dentro do próprio concelho”, pelo que a aprovação “decorreu com o total desconhecimento das autarquias”.

Colos é uma vila do interior do concelho de Odemira, com cerca de 1250 habitantes, mas está rodeada de outras freguesias que não têm farmácia, sendo cerca de 4500 as pessoas prejudicadas pela situação, segundo os cálculos do presidente da Junta de Freguesia local.

Manuel Penedo indicou que a farmácia centenária vai deixar também sem serviço as freguesias vizinhas de Relíquias, Vale Santiago e parte da freguesia de Bicos, tendo destacado ainda que Colos tem um lar de terceira idade com mais de 60 idosos e uma escola básica com cerca de 400 alunos.

A farmácia vai mudar-se para Vila Nova de Milfontes, no litoral do concelho, que tem cerca de 4250 habitantes, mas que é visitada por milhares de turistas durante a época balnear, e que vai passar a contar com dois estabelecimentos deste tipo.

Indignado e “apanhado de surpresa”, o presidente da autarquia de Colos manifestou-se “contra a saída da farmácia” e diz que a notícia “causou alguma perturbação” e que a população não ficou satisfeita.

Os dois autarcas estão, entretanto, a envidar esforços para repor uma farmácia na freguesia, tendo solicitado ao Infarmed a abertura de concurso para um novo estabelecimento.

“A transferência deveria ser sujeita a um parecer vinculativo das autarquias”, defendeu ainda o presidente da Câmara.

Por enquanto, a farmácia de Colos continua de portas abertas, mas os proprietários têm até seis meses após a aprovação pelo Infarmed – o que aconteceu em meados de dezembro, segundo Manuel Penedo – para formalizar a transferência.

AYN.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico. ***

Lusa/Tudoben

Comments: 0