Portugal/Rússia :Vinho alentejano é uma aposta da empresa PRUBA

Views: 518

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, garantiu ontem em Lisboa que a cooperação é a chave para a segurança na Europa, à saída de um encontro com o primeiro-ministro português, José Sócrates.

“O incremento da cooperação será sempre em benefício de uma Europa mais segura”, declarou Lavrov à Agência Lusa, acentuando que no plano das relações bilaterais entre a Rússia e Portugal “o benefício é recíproco”.

“Será através de esquemas de cooperação que todos nos sentiremos mais seguros, para nos concentrarmos nos aspectos construtivos e não ficarmos presos às polémicas desnecessárias que nos separam”, acentuou o chefe da diplomacia russa.

Lavrov reconheceu ser “evidente que há diferenças, numa ou noutra questão”, mas frisou que “as diferenças não podem fazer refém tudo o resto”.

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, “Portugal é um importante membro da União Europeia (UE) e da Aliança Atlântica (NATO), pelo que é sentido um desejo comum de promover esquemas de cooperação no plano europeu e euro-atlântico”.

Acerca da sua visita a Lisboa, Lavrov acentuou que “a Rússia mantém muito boas relações bilaterais com Portugal” e, daí, pretender que “o nível do diálogo político, de resto excelente, fique marcado por mais comércio externo e investimento de parte a parte”.

“Foi isto que discuti com o primeiro-ministro (português, José Sócrates) e valorizámos a reciprocidade em matéria de cooperação, (especialmente) no sector do turismo, tão promissor”, revelou.

Os sectores do turismo e do imobiliário são a grande aposta da Rússia para o Algarve, que colocou na região o seu primeiro cônsul, o empresário português Nuno Gama.

No Algarve, “o turismo e o imobiliário são as prioridades”, disse o embaixador da Rússia em Portugal, Pavel Petrovski, ao falar à LUSA, lembrando que no primeiro semestre do ano o sul de Portugal foi visitado por mais de 9.000 russos.

O vinho alentejano é uma aposta da empresa PRUBA, porque os russos, dos 650 milhões de garrafas importadas por ano, consomem pelo menos 65 milhões – cerca de 10 por cento – de produção portuguesa.

As trocas comerciais entre a Rússia e Portugal são da ordem dos 1.000 milhões de euros, num momento em que as exportações portuguesas para aquele país registam um crescimento de 35 por cento, reduzindo o défice da balança de transacções de 14 para seis por cento.

Além do turismo, imobiliário e vinho, o calçado, têxteis, vestuário, cortiça, químicos e equipamentos em geral, sobretudo para o sector dos transportes, são produtos portugueses que interessam à Rússia.

Caso paradigmático é o do calçado, cujas exportações para aquele país foram de sete milhões de euros em 2005, 14 milhões de euros em 2006 e 20 milhões de euros em 2007.

Os russos têm o projecto de construir perto de Lagos uma central de dessalinização para fornecimento de água potável ao Algarve, pensando nos campos de golfe.

Um outro projecto russo de vulto visa o aproveitamento da energia das ondas do mar e das correntes fluviais para gerar electricidade.

É considerado um imperativo para Moscovo dinamizar os voos fretados para turistas russos e alcançar uma meta de 100.000 dormidas repartidas entre hotéis e estâncias de luxo, para o segmento mais alto, embora minoritário, cujos investimentos em imobiliário deverão ser potenciados.

Serguei Lavrov está esta terça-feira com o homólogo e anfitrião Luís Amado, nomeadamente para tratar a realização, na Primavera de 2009, em Moscovo, da sessão da Comissão Mista para a Cooperação Económica, Industrial e Técnica, bem como a situação financeira mundial e as relações da Rússia com a União Europeia.

JHM.

Lusa/Tudoben

Comments: 0