Ensino Superior: Sete professores da Universidade de Évora disputam eleições para reitor

Views: 509

univers_evoraÉvora – Sete professores da Universidade de Évora disputam, a 03 de Fevereiro, a eleição para o cargo de reitor da academia alentejana, revelou hoje o presidente do Conselho Geral da instituição, Joaquim Renato Araújo.

Em declarações à agência Lusa, o responsável, que também preside à Comissão Eleitoral, indicou que “foram aceites a totalidade das candidaturas apresentadas”.

Os sete candidatos, disse, estão “todos ligados à universidade de Évora” e, no próximo dia 19, durante uma audição pública, aberta a todos os interessados, vão apresentar os respectivos programas eleitorais.

O novo reitor é eleito pelos 25 membros do Conselho Geral da instituição: o presidente daquele órgão, 13 representantes do pessoal docente e de investigação, três representantes dos alunos, dois do pessoal não docente e não investigador e seis membros cooptados.

As eleições para escolher o sucessor do actual reitor Jorge Araújo, que decidiu não se recandidatar a um novo mandato, estão marcadas para a tarde do dia 03 de Fevereiro.

Um dos candidatos é António Heitor Reis, de 56 anos, do departamento de Física, que era vice-reitor no actual mandato, mas pediu a suspensão do cargo para avançar com a candidatura.

A professora do departamento de Pedagogia e Educação Manuela Magno, de 56 anos, que foi pré-candidata nas eleições presidenciais de 2006, vai igualmente candidatar-se ao lugar de reitor da Universidade de Évora.

Carlos Braumann, de 58 anos e professor do departamento de Matemática, é outro dos candidatos, tal como Hélder Fonseca, de 55 anos, docente do departamento de História.

Sara Pereira, de 47 anos, do departamento de Pedagogia, Carlos Marques, de 52 anos, de Gestão, e a vice-reitora Ana Costa Freitas, de 55 anos, de Fitotecnia, são os restantes candidatos.

A Universidade de Évora foi fundada em 1559, 22 anos depois da Universidade de Coimbra.

Duzentos anos após a fundação, a instituição encerrou, em consequência do decreto de expulsão dos jesuítas.

Só em 1973, por decreto do então ministro da Educação Nacional, Veiga Simão, foi reinstalada em Évora uma instituição universitária.

As aulas recomeçaram em 10 de Novembro de 1975.

SYM.

Lusa/Tudoben

Comments: 0