Mau Tempo: Proteção Civil determina alerta laranja em 14 distritos, pela primeira vez devido a vento forte

Views: 2456

ventoA Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC) determinou para sábado o alerta laranja em 14 distritos de Portugal continental, pela primeira vez devido a ventos que podem atingir até 160 quilómetros por hora e precipitação forte.

Os distritos em alerta laranja, o segundo mais grave de uma escala de quatro níveis, são Viana do Castelo, Braga, Vila Real, Bragança, Porto, Aveiro, Viseu, Guarda, Coimbra, Leiria, Castelo Branco, Santarém, Lisboa e Setúbal.

Os distritos de Portalegre, Évora, Beja e Faro vão estar com aviso Amarelo, o segundo menos grave da mesma escala.

Em conferência de imprensa, o comandante operacional de operações e socorro da proteção civil, Gil Martins, disse que está a ser dada “especial atenção para as bacias hidrográficas dos rios Minho, Lima, Douro, Vouga, Mondego e Tejo e para as zonas a norte de Portugal Continental que vão ser mais influenciadas pela precipitação”, onde são “prováveis inundações são inundações por transbordo de rios e cheias rápidas em meio urbano”.

Com o agravamento da situação meteorológica com o início da manhã, a ANPC espera também “danos em estruturas montadas, deslizamento de terras e quedas de árvores”.

No mar as ondas podem atingir os sete metros na costa Ocidental, o que pode provocar “fenómenos de erosão na zona costeira, nomeadamente nas zonas mais vulneráveis da costa ocidental, como a Costa da Caparica e Esposende”. Bem como, “dificuldade com embarcações e possibilidade de acidentes junto à costa devido a esta fortes agitação marítima”, alertou Gil Martins.

Como consequência, foram já encerradas 12 barras marítimas, admitindo a ANPC que este número aumente durante o dia de sábado.

Quanto à situação na ilha da Madeira, que foi no sábado passado atingida por um temporal que, segundo as estatísticas mais recentes, vitimou 42 pessoas, a ANPC disse estar disponível para enviar todos os meios necessários.

“[Perante a situação de sábado passado], tudo o que a Região Autónoma da Madeira tem solicitado através do seu serviço regional de Proteção Civil tem sido respondido. E se a Madeira necessitar de mais algum pedido estamos prontos para enviar ajudas através da colaboração da Força aérea”, garantiu Gil Martins.

Perante este cenário em Portugal Continental, a ANPC reuniu-se hoje com o Instituto de Meteorologia, a EDP, a PT, a REN (Redes Eléctricas Nacionais) e com o INAG (Instituto Nacional da Água) para ativar planos operacionais de crise.

A EDP tem cinco mil pessoas para “ocorrer ao que for preciso” e a PT tem “mil e quinhentas em prontidão”, referiu Gil Martins.

A ANPC está em “muito estreita articulação” com as Forças Armadas, tendo elevado o seu nível de prontidão no apoio a eventuais problemas resultantes do mau tempo, já que “acabam por ser a grande reserva estratégica em situações deste tipo”.

Em articulação com o INAG, a Proteção Civil está também a monitorizar o volume de água que entra e sai das barragens portuguesas.

O alerta laranja da ANPC manter-se-á até às 24:00 de sábado, sendo que “será alterado consoante a evolução do estado do tempo”.

O alerta laranja para este tipo de situações é a primeira vez que é acionado em Portugal Continental e é o segundo mais grave numa escala de quatro que mede as consequências e danos dos fenómenos meteorológicos.

SYP.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Tudoben

Comments: 0