Saúde: “Os Verdes” contestam transformação do Hospital do Litoral Alentejano em Entidade Pública Empresarial

Views: 5018

medicos_notSantiago do Cacém, Setúbal, 28 Jan (Lusa) – O Partido Ecologista “Os Verdes” exigiu esclarecimentos ao Governo sobre a transformação do Hospital do Litoral Alentejano em Entidade Pública Empresarial, quando “na generalidade dos casos”, a “empresarialização” dos equipamentos levou “ao agravamento da qualidade dos serviços”.

O deputado José Luís Ferreira, do Grupo Parlamentar do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), entregou quarta-feira na Assembleia da República uma pergunta em que pede esclarecimentos ao Governo, através do Ministério da Saúde, sobre a passagem da gestão do Hospital Litoral Alentejano (HLA) a Entidade Pública Empresarial (EPE).

No requerimento, o partido considera que se verifica “uma clara vontade política de conduzir à privatização gradual da saúde”.

“A Comissão de Utentes de Saúde da Freguesia de Santiago do Cacém tem vindo a tomar posição, e bem, contra a passagem da gestão” do hospital, refere ainda o mesmo documento.

O PEV argumenta que “o movimento de empresarialização de hospitais e sua gestão, designadamente através dos modelos de parcerias público-privadas, não só não contribuiu para resolver os problemas financeiros desses equipamentos (…) como, na generalidade dos casos, levou ao agravamento da qualidade dos serviços prestados”.

A passagem a EPE da unidade hospitalar em causa levou a Comissão de Utentes de Santiago do Cacém a ficar apreensiva “face ao futuro daquele equipamento essencial e aos cuidados de saúde das populações de Odemira, Sines, Santiago do Cacém, Grândola e Alcácer do Sal”.

As condições de trabalho de enfermeiros, auxiliares, técnicos e administrativos do HLA também causam preocupação à Comissão de Utentes, que, segundo diz o PEV, “passaram a ter um vínculo laboral mais precário, instável e com carreiras desreguladas”.

Além disso, o PEV pretende ver esclarecidas as reivindicações da Comissão de Utentes local, “nomeadamente quanto à integração, no Plano Estratégico do HLA, da Maternidade e o cumprimento dos tempos de atendimento previstos na Triagem de Manchester”.

A melhoria do funcionamento do Serviço de Urgência de Pediatria, do Internamento em Pediatria e diminuição dos tempos de espera nas Consultas de Cardiologia são outras das reivindicações da mesma Comissão.

“Que condições haverá, para aumentar os ganhos em saúde e melhorar o serviço em geral prestado às populações, designadamente, no que toca às reivindicações da Comissão de Utentes de Saúde da Freguesia de Santiago do Cacém”, questiona o PEV na pergunta entregue na AR.

O deputado José Luís Ferreira questiona ainda o Ministério da Saúde sobre a intenção de “tomar medidas para efectivar essas melhorias” bem como da forma como o pretende fazer e quando.

AYN.

Lusa/Tudoben

Comments: 0